I Série de Webinars Educação Plurilíngue e Prática Docente

I Série de Webinars Educação Plurilíngue e Prática Docente

Faça sua inscrição
De 20 setembro a 25 de outubro Todos os dias das 19h30 às 21h30
Evento online Clique aqui

Sobre o Evento

O evento tem como objetivo proporcionar um espaço de discussão e reflexão sobre a formação e a prática docentes em contexto de educação plurilíngue. Promovido pelo Departamento de Educação (DEPED) e o Grupo de Pesquisa sobre Desenvolvimento Profissional Docente - Transmutare, em parceria com o Departamento de Línguas Estrangeiras Modernas (DALEM), da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), campus Curitiba.

A I Série de Webinars Educação Plurilíngue e Prática Docente, contará com a participação de especialistas nos temas que abordarão os contextos, as vivências e as práticas docentes referentes à Educação Plurilíngue. Serão quatro webinars que ocorrerão nos dias 20/09, 04/10, 18/10 e 25/10/2021, com início às 19:30. A transmissão ocorrerá pelo canal do evento no Youtube.

Confira a programação completa e faça a sua inscrição gratuita! A inscrição no evento é válida para participação em todos os webinares.

Haverá certificação para os inscritos que participarem dos webinars com carga horária proporcional à participação do evento, emitida pela UTFPR e enviada por e-mail, após a finalização de todo o evento.

Palestrantes

  • Antonieta Megale
  • Laura Fortes
  • Laura Janaina Dias Amato
  • André Luís Specht
  • Mônica Tomaz de Aquino
  • Marta Rejane Proença Filietaz
  • Henrique Oliveira da Silva
  • Beatriz Aquino Feijó
  • Maria Luísa Ajub Bridi

Programação

19h30 - Antonieta Megale (Des)caminhos da educação plurilíngue no Brasil Palestra
Local: https://www.youtube.com/channel/UCZox-uGsIyifyPRWpKPOxMA

Neste encontro, revisitaremos a base conceitual de educação bilíngue, focalizando o contexto brasileiro com suas especificidades e desafios. Como podemos compreender e significar o fenômeno da educação bilíngue no Brasil? Quais bilinguismos promovemos e quais invisibilidades produzimos? Como podemos fomentar uma educação bilíngue comprometida com a equidade social? Como a presença ou ausência de marcos legais, como as Diretrizes Curriculares Nacionais para a oferta de Educação Plurilíngue, aprovada em 2020 e à espera de homologação, contribuem para esse debate? Esses questionamentos nortearão a reflexão proposta.

Palestrante: Profª Drª Antonieta Megale

Formada em comunicação social e pedagogia. Mestre em linguística aplicada pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP). Doutora em linguística aplicada pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Realizou estágio doutoral na Universidade de Viadrina (Alemanha). Realiza estágio de pós-doutoramento em Linguística Aplicada na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP). Atualmente é professora na pós-graduação do Departamento de Letras da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). Coordena o curso de pós-graduação em Educação Bilíngue e a extensão do Instituto Singularidades, onde atua também como professora no curso de pedagogia. Atua também como assessora na área de linguagens em instituições de educação básica.

19h30 - Marta Rejane Proença Filietaz, Mônica Tomaz de Aquino Mesa: Educação plurilíngue e seus contextos Mesa Temática
Local: https://www.youtube.com/channel/UCZox-uGsIyifyPRWpKPOxMA

O Modelo de Programa de Imersão Bilíngue no Estado de Utah (EUA) e a Educação Bilíngue de prestígio no Brasil: um comparativo

O Estado de Utah, nos Estados Unidos, vem desenvolvendo um programa de imersão em suas escolas públicas estaduais desde 2008. O programa envolve alunos desde o Ensino Fundamental até a universidade, e é adotado em aproximadamente 160 escolas. A imersão pode ocorrer em espanhol, mandarin, francês, russo , alemão e português. A minha fala tem como objetivos: apresentar o modelo que foi adotado pela referida Unidade Federativa, demonstrar como ele funciona dentro das escolas, e fazer um paralelo com modelos adotados por escolas de educação bilíngue de prestígio no Brasil.

Palestrante: Profª Mônica Tomaz de Aquino

Tem graduação em Letras , habilitação em português e inglês pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná e pós-graduação em Metodologia do Ensino de Língua Inglesa pela Universidade do Oeste de Santa Catarina. Atua como professora de português no Dual Language Immersion Program no estado de Utah, nos Estados Unidos.


Educação Bilíngue para Surdos: Possibilidades, avanços e desafios

Os documentos originados do macrocontexto internacional impulsionaram as políticas educacionais inclusivas brasileiras e passaram a garantir, no caso dos sujeitos surdos, o direito e o reconhecimento da Língua Brasileira de Sinais (Libras) como meio legal de expressão e comunicação. Em decorrência disso, preconizaram o desenvolvimento de práticas de ensino nos espaços escolares que garantissem a educação bilíngue e que estes devam desenvolver a Libras como primeira língua (L1) e a Língua Portuguesa na modalidade escrita como segunda língua (L2).Tal reconhecimento, portanto, possibilita a percepção dos avanços e desafios que ainda persistem em decorrência da implantação das políticas de inclusão na perspectiva da educação bilíngue, notadamente da inserção da Libras e da atuação dos profissionais (docentes e Tradutores e Intérpretes de Língua Brasileira de Sinais. A partir da intensa articulação dos surdos e em decorrência das garantias expostas se sobressai a discussão em torno de uma proposta de educação bilíngue.

Palestrante: Profª Drª Marta Rejane Proença Filietaz

Professora da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR) no Departamento de Educação - DEPED/ Campus Curitiba. Possui Doutorado em Distúrbios da Comunicação, Mestrado em Educação, Pós- Graduação Lato Sensu em Psicopedagogia, Educação Bilíngue Libras/ Língua Portuguesa e Educação Profissional e Tecnológica Inclusiva e graduação em Pedagogia. Pesquisador no Grupo de Pesquisa sobre Desenvolvimento Profissional Docente (UTFPR). membro da comissão Editorial da Revista Transmutare (periódico online do Departamento de Educação da UTFPR/Curitiba). Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Educação Especial e Inclusiva, atuando principalmente nos seguintes temas: Educação Bilíngue para Surdos e Tradutor e Intérprete de Libras/Língua Portuguesa.

19h30 - Beatriz Aquino Feijó, Laura Fortes, Laura Janaina Dias Amato, Maria Luísa Ajub Bridi Mesa: Vivências em educação plurilíngue Mesa Temática
Local: https://www.youtube.com/channel/UCZox-uGsIyifyPRWpKPOxMA

Plurilinguismo e saberes originários: relato de experiências extensionistas com comunidades Guarani no Oeste do Paraná

Resumo: Compartilharemos experiências vivenciadas no âmbito do Projeto de Extensão Universitária “Educomunicação e Cultura Guarani” (Educom Guarani) desenvolvido na Universidade Federal da Integração Latino-Americana (UNILA), em articulação com dois projetos de pesquisa: Educomunicação: Língua-Cultura Guarani, Sustentabilidade e Teko Porã (Myasãimbo’e: Avañe’e Reko-Ayvu, Ñemoñangareko ha Teko Porã) e Discurso, currículo e políticas de línguas: bilinguismo, multilinguismo, translinguagem. O objetivo principal do Educom Guarani é realizar ações educomunicativas para promover a língua-cultura guarani, contribuindo, assim, com as políticas linguísticas institucionais e regionais. Iniciado em 2018 com o curso de capacitação de professores(as) de língua guarani, atendendo às demandas das comunidades Añetete e Itamarã (Diamante D’Oeste-PR), o projeto teve continuidade em 2019 com oficinas audiovisuais para crianças e jovens lideranças. A fim de difundir essa língua-cultura indígena na sociedade Jurua (não indígenas), foram realizadas práticas tradutórias das produções audiovisuais elaboradas pela comunidade.

Palestrante: Profª Drª Laura Fortes

É professora da Universidade Federal da Integração Latino-Americana UNILA, atuando no eixo de Línguas do Ciclo Comum de Estudos, na área de Letras e Linguística e no Programa de Pós-Graduação Interdisciplinar em Estudos Latino-Americanos (PPGIELA). Doutora em Letras (USP), com estágio sanduíche na University of Technology, Sydney (UTS). Membro do Grupo de Estudos e Pesquisa em Língua Estrangeira, Discurso e Identidade - LEDI (USP), e do Grupo de Pesquisa Linguagem, Política e Cidadania, (UNILA). Dedica-se aos estudos da análise de discurso e da linguística aplicada, com foco no bilinguismo; multilinguismo; translinguagem; currículo, políticas de línguas e formação docente.


O Programa Escolas Interculturais de Fronteira (PEIF) e a realidade linguístico-cultural em uma escola na fronteira

O presente relato tem como objetivo apresentar o então programa do MEC, Escolas Interculturais de Fronteira (PEIF), vinculado ao Setor Educacional do Mercosul em atuação em Foz do Iguaçu de 2005 a 2019. Apresentarei minha experiência enquanto docente formadora deste programa (2010 – 2014) e coordenadora adjunta do mesmo (2011 – 2014), assim como os desdobramentos de ações de formação advindas do PEIF em consonância com a realidade plural e multicultura da tríplice fronteira (Argentina – Brasil – Paraguai), com foco na perspectiva intercultural e de acolhimento e na diversidade cultural presente nas salas de aulas e os desafios apresentados frente ao o cotidiano escolar.

Palestrante: Profª Drª Laura Janaina Dias Amato

Possui graduação em Letras pela Universidade Federal do Paraná (2001), mestrado em Letras pela Universidade Federal do Paraná (2005) e doutorado em Letras pela Universidade Federal do Paraná (2012). Atualmente é pesquisadora associada do Centro Latino-Americano de Estudos em Cultura e professora associada da Universidade Federal da Integração Latino-Americana. Líder do grupo de pesquisa "Linguagem, Política e Cidadania" e membro do "Grupo de Estudos Interdisciplinares: políticas linguísticas, diversidade e fronteiras". Tem experiência na área de Linguística, com ênfase em Lingüística Aplicada, atuando principalmente na área de formação inicial e continuada de professores de línguas adicionais/estrangeiras. Seus principais interesses de pesquisa giram em torno dos seguintes temas: letramento crítico e ensino de línguas; currículo e transculturalidade; educação fronteiriça; práxis pós-estruturalista, pós-colonial e decolonial, vinculado a noções de discurso e representação.


Nossa experiência como alunas de um colégio bilíngue e reflexos na vida profissional

- A fala será no sentido de contar sobre a minha experiência como aluna de uma escola com um programa bilíngue e de que forma consigo visualizar os impactos na vida profissional. No momento trabalho com inclusão numa escola internacional, como acompanhante terapêutica de uma criança com autismo não verbal. Quero propor algumas reflexões acerca da inclusão escolar e suas interfaces com programas bilíngues e internacionais.

Palestrante: Beatriz Feijó

Estudante do 10º período do curso de Psicologia da Universidade Positivo. Cursou o ensino fundamental em escola bilíngue. Atualmente faz estágio na área de inclusão numa escola internacional em Curitiba.

- O objetivo da fala é relatar o ingresso em uma escola bilingue, já no sétimo ano do ensino fundamental, apresentando tanto as dificuldades desse percurso, como o avanço rápido para o aprendizado da língua inglesa, fortalecido com um pequeno intercâmbio no Canadá. Como acadêmica de medicina, evidenciarei a importância do aprendizado da língua estrangeira na área médica em que uma grande parte da literatura científica, seja ela em livros, artigos ou revistas científicas é em inglês e que apresenta oportunidades de estágios e residências em países e programas que exigem o conhecimento da língua.

Palestrante: Maria Luísa Ajub Bridi

Estudante do 2º período do curso de Medicina da Universidade Anhembi Morumbi. Cursou o ensino fundamental em escola bilíngue. Atualmente participa da liga de Dermatologia Clínica Cirúrgica e Estética (LADCCE) e da liga de Cardiologia Piracicaba (LACARDIO) da Universidade Anhembi Morumbi, campus Piracicaba, SP.

19h30 - André Luís Specht, Henrique Oliveira da Silva Mesa: Educação plurilíngue e prática docente Mesa Temática
Local: https://www.youtube.com/channel/UCZox-uGsIyifyPRWpKPOxMA

O Ensino e Aprendizagem baseado em Tarefas: da Teoria à Prática

A abordagem de ensino e aprendizagem baseado em tarefas é uma metodologia que vem sendo bastante utilizada nas aulas de línguas, pois coloca o aluno como agente responsável pela sua própria aprendizagem. Ademais, a tarefa, construto principal da abordagem, leva o aluno a focar no uso pragmático da língua e a engajar-se em processos cognitivos complexos, possibilitando que a aprendizagem ocorra de forma mais efetiva. Diante disso, minha fala tem como objetivo apresentar e refletir sobre (i) questões conceituais da abordagem baseada em Tarefas, (ii) como tarefas podem ser criadas e implementadas no dia a dia da sala de aula de línguas e (iii) a possibilidade de se pensar em tarefas em outras disciplinas.

Palestrante: Prof. Dr. André Luís Specht

Tem graduação em Letras, habilitação Inglês, pela Universidade Estadual do Centro-Oeste, mestrado e doutorado pelo Programa de Pós-Graduação em Inglês da Universidade Federal de Santa Catarina. Estuda e pesquisa sobre o desenvolvimento de oralidade em segunda língua e metodologias de ensino de línguas, mais especificamente Ensino e Aprendizagem baseado em Tarefas.


Recursos Educacionais Abertos e Prática Educacionais Abertas na Educação Plurilíngue

Os Recursos Educacionais Abertos, REA, são materiais de ensino, aprendizado e pesquisa, em qualquer suporte ou mídia digital, estão sob domínio público, ou estão licenciados de maneira aberta. Já as Práticas Educacionais Abertas sustentam a (re) utilização e produção de REA por meio de políticas institucionais, promovendo modelos pedagógicos inovadores, respeitando e capacitando alunos como coprodutores no seu caminho de aprendizagem. Sob essa ótica iremos discutir a educação plurilíngue.

Palestrante: Prof. Dr. Henrique Oliveira da Silva

Graduação em Tecnologia em Processamento de Dados pela Universidade de Caxias do Sul (1997), mestrado em Computação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2002) e doutorado em Informática na Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2006). Atualmente é Professor da Universidade Tecnológica Federal do Paraná. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Ensino-Aprendizagem.

Apoio Institucional

Parceria

Organizador

DEPED-CT

Departamento de Educação (DEPED) da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), campus Curitiba
Transmutare - Grupo de Pesquisa sobre Desenvolvimento Profissional Docente