Caminhos da Ditadura em Porto Alegre

Caminhos da Ditadura em Porto Alegre

Construindo um trajeto de memória na cidade

Faça sua inscrição
De 3 agosto a 30 de outubro Todos os dias das 18h30 às 12h00
Evento online O link do evento ainda não foi informado

Sobre o Evento

Curso voltado a reflexão sobre patrimônio da ditadura civil-militar (1964-1985) em Porto Alegre/RS através de momentos teóricos e práticos a fim de criar coletivamente um trajeto de memória sobre o período na cidade.

O Rio Grande do Sul, segundo a Comissão Nacional da Verdade, foi o estado com maior número de locais de repressão no período ditatorial (1964-1985), mesmo assim são poucas as iniciativas que propõem uma reflexão sobre esses espaços de memória nas cidades gaúchas. Considerando a educação como um direito social, imprescindível que chegue para todos, não existe local mais potencialmente democrático para isso do que a cidade. Assim, torna-se fundamental pensar em um ensino sobre ditadura a partir dos espaços da cidade, que exprimem memórias latentes ou ocultas sobre o período, pois somos levados a refletir sobre violação dos direitos humanos perpetrados pelo Estado durante o regime ditatorial e no presente. A ferramenta que orienta, então, a criação do trajeto de memória é o mapa digital Caminhos da Ditadura em Porto Alegre, em que, até o momento, tem mais de 200 locais ligados à resistência e à repressão na capital gaúcha mapeados.

As atividades ocorrerão no seguinte formato

terças-feiras, 18h30 até 20h30 - 03 de agosto até 28 de setembro - encontros síncronos online

sábados - 9h até 12h - 02 de outubro até 30 de outubro - encontros presenciais (as atividades ocorrerão todas ao ar livre)

A inscrição será confirmada mediante aprovação da carta de intenção. A carta de intenção corresponde a escrita de 1 (uma) página no máximo explicando porque gostaria de participar do projeto. Lembrando que não há pré-requisito e não é necessário ser da área da História para participar. A proposta é que o grupo seja interdisciplinar nas mais diversas formas (diversos níveis de educação, áreas de atuação, idades, etc.), o principal é que a pessoa se interesse pelos temas: direitos humanos, ditadura civil-militar e patrimônio.

Parceiros

Organizador

Anita Natividade Carneiro

Mestranda em História pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). É graduada em bacharelado em História com ênfase em pesquisa histórica e graduada em licenciatura em História pela mesma universidade. Durante a graduação desenvolveu pesquisas através de bolsa de Iniciação à Popularização da Ciência CNPq-CAPES e bolsa de Iniciação Científica pela FAPERGS. Tem experiência na área de História, atuando principalmente nos seguintes temas: ditadura civil-militar brasileira, história digital, história pública, memória e patrimônio da cidade e ensino de história. É integrante da rede de Trajetos de Memória de Porto Alegre e do Laboratório de Estudos sobre os Usos Políticos do Passado (LUPPA/UFRGS). Colunista nos sites História da Ditadura e Nonada. Atualmente trabalha como Educadora Social (Abordagem Social) e desenvolve os projetos Caminhos da Ditadura em Porto Alegre, Historiar-Se e Pesquisadora Explica.