Ciclo de conversas sobre leitura e formação de leitores

Ciclo de conversas sobre leitura e formação de leitores

Faça sua inscrição
De 5 a 29 de abril Todos os dias das 19h30 às 20h30
Evento online O link do evento ainda não foi informado

Sobre o Evento

Nos últimos anos, a discussão sobre a formação de leitores desde a infância tem ocupado diferentes espaços no Brasil. E são muitos os avanços neste campo.

No entanto, sabemos que ainda existem mitos que parecem naturalizar algumas práticas quando se trata da leitura com as crianças e jovens.

Este Ciclo de conversas se propõe a questionar e analisar algumas concepções recorrentes neste campo, promovendo uma reflexão importante sobre o desafio de formar leitores.

Visando promover novamente boas conversas em torno da leitura, o Clube de Leitores A Taba promovera uma série de encontros para discutir alguns mitos relacionados à formação de leitores.

Serão 8 encontros, com diferentes especialistas,entrevistados por Denise Guilherme e Érica de Faria Dutra, em conversas que certamente promoverão grandes reflexões para educadores e famílias.

As conversas serão inspiradas nas provocações feitas por Ana Carolina Carvalho e Josca Baroukh no livro "Ler antes de saber ler: oito mitos escolares sobre a leitura literária"(Panda Books).

Os encontros terão inicio dia 05 de abril e acontecerão sempre às segundas e quintas, às 19h30, com transmissão - ao vivo - nas redes sociais da Taba: Facebook, Instagram e Youtube.

O público poderá participar comentando as conversas e enviando perguntas para os convidados.

Palestrantes

  • Ana Carolina Carvalho
  • Beto Silva
  • Silvia Zerbini
  • Beatriz Gouveia
  • Ilan Brenman
  • Bárbara Franceli
  • Bel Santos Mayer
  • Bruninho Souza
  • Roger Mello
  • Josca Ailine Baroukh,

Programação

19h30 Como formar o leitor na sala de casa e na sala de aula? Encontro com especialista
Como formar o leitor na sala de casa e na sala de aula?
Local: O evento será online

Partimos do pressuposto que a leitura literária é um direito de todos as crianças. É preciso criar situações em que possam ler com autonomia, mas também que tenham o prazer de desfrutar da leitura compartilhada, com um par mais experiente, os familiares ou o professor, e como outras crianças também. É a dimensão socializadora da leitura que queremos desenvolver ao formar uma comunidade de leitores na família e na escola. Então, o que é preciso considerar quando pensamos em situações de leitura literária na sala de casa e na sala de aula?

19h30 Para as crianças pequenas, é melhor contar do que ler histórias? Encontro com especialista
Para as crianças pequenas, é melhor contar do que ler histórias?
Local: O evento será online

Sabemos que contar e ler uma história são práticas distintas e cada uma delas apresenta vantagens para a formação leitora. Há uma ideia enraizada de que contar uma história para as crianças pequenas é melhor que ler, e que para as maiores isso se inverte. Talvez seja porque pensamos na autonomia leitora, quanto mais velhos forem as crianças tendemos a pensar que maior é proficiência leitora e, portanto, menos espaço para a contação. Será? O que é possível aprender quando participamos de cada uma dessas práticas?

19h30 É preciso oferecer livros fáceis, de acordo com a faixa etária do leitor? Encontro com especialista
É preciso oferecer livros fáceis, de acordo com a faixa etária do leitor?
Local: O evento será online

Os critérios de escolha de uma obra sempre se configuraram como um desafio para os adultos. O que levar em consideração para essa escolha? É recorrente buscar por livros que estejam adequados a uma faixa etária, mas o que isso significa? Será que a idade é condicionante para as escolhas literárias? Outro critério utilizado é o quão fácil é para as crianças compreenderem. O uso de palavras simples, do cotidiano da criança, costumam ser pontos de atenção. Mas fica uma pergunta importante para pensar: como as crianças poderão avançar na compreensão leitora se não oferecermos certos desafios ajustados a ela?

19h30 É preciso poupar as crianças dos temas difíceis? Ler é sempre prazeroso? Encontro com especialista
É preciso poupar as crianças dos temas difíceis? Ler é sempre prazeroso?
Local: O evento será online

Sabemos que a literatura, sobretudo, os contos tradicionais trazem na trama narrativa aspectos relacionados à vida humana: amor, medo, raiva, morte, tensões, relações entre as pessoas. Encontramos disponíveis obras em que a morte é a personagem; que o lobo mau come uma menina; que a raiva é demonstrada em cenas cujos personagens arquitetam maldades para outros. Devemos poupar as crianças disso? Se estamos em dúvida, então, por que devemos ler essas histórias para elas? De que prazer estamos falando quando lemos para as crianças?

19h30 Conversar é pouco? É preciso sempre fazer alguma atividade depois de ler? Encontro com especialista
Conversar é pouco? É preciso sempre fazer alguma atividade depois de ler?
Local: O evento será online

Em geral, tudo o que é feito na escola tem um propósito e muitas vezes é necessário registrar para comprovar que aquele trabalho foi realizado. Com a leitura literária não é diferente. Lê-se um livro de literatura para fazer algo depois, para saber o que o estudante compreendeu da história lida. A escola tem uma certa dificuldade em lidar com a literatura como algo indomesticável, com textos polissêmicos que possibilitam muitos caminhos para a apreciação. Como manter as características da literatura dentro da escola? O que podemos fazer depois de ler um livro com as crianças?

19h30 Depois que crescem, as crianças deixam de ler? Encontro com especialista
Depois que crescem, as crianças deixam de ler?
Local: O evento será online

Conforme avança a escolaridade, parece que os jovens se afastam da leitura. Há, inclusive, pesquisas que indicam um percentual pequeno de leitores que leem mais de 3 ou 4 livros por ano. Sabemos também que, na Educação Infantil e no início do Ensino Fundamental, as crianças gostam muito dos momentos de leitura. O que acontece na família, na escola e, em outros espaços públicos - como as bibliotecas - para que esses momentos de ler sejam significativos para os jovens? Será que eles não gostam mesmo de ler?

19h30 Livros bem coloridos e fofos: é só disso que as crianças gostam? Encontro com especialista
Livros bem coloridos e fofos: é só disso que as crianças gostam?
Local: O evento será online

As cores utilizadas em um livro, como outros elementos do projeto gráfico, não são escolhidas aleatoriamente pelos ilustradores. Muitas vezes, elas contribuem para a construção da narrativa e são fundamentais, portanto, para compreensão leitora, provocando algum tipo de impacto no leitor. Há uma ideia defendida no contexto e escolar e também por algumas famílias de que o livro colorido é o que mais atrai as crianças.

Será?

19h30 Quem escolhe as melhores leituras para as crianças são sempre os adultos? Encontro com especialista
Quem escolhe as melhores leituras para as crianças são sempre os adultos?
Local: O evento será online

Sabemos que para formar leitores, as escolhas feitas dos livros a serem lidos na rotina da sala de aula precisam ser cuidadosas e realizadas de maneira consciente, com critérios claros e objetivos a depender dos propósitos que se instaura no decorrer das práticas de leitura. Cabe à criança apreciar e participar das situações instauradas de modo a expor suas opiniões e impressões a respeito do lido. Mas para formar leitor não é preciso saber escolher? Como ficam as escolhas das crianças no currículo literário da escola e também nas rotinas de leitura em família?

Apoio

Parceria

Organizador

A Taba

Clube de Leitores A Taba (www.ataba.com.br): empresa de curadoria de livros infantis que prioriza, na sala de casa e na sala de aula, a melhor exploração da leitura e da Literatura com as crianças.