I Simpósio pela Saúde Pública

I Simpósio pela Saúde Pública

"Saúde é democracia e democracia é saúde"

Faça sua inscrição
De 22 a 24 de julho Todos os dias das 18h00 às 22h00
Evento online O link do evento ainda não foi informado

Sobre o Evento

O Centro Acadêmico Sir Alexander Fleming (CASAF) em conjunto com a Liga Acadêmica de Medicina de Família e Comunidade (LAMFaC) da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) têm o prazer de apresentar o I Simpósio pela Saúde Pública: "saúde é democracia e democracia é saúde"!

Em uma conjuntura econômica de constantes desmontes de políticas públicas, defender a democracia é, antes de mais nada, assumir um postura ativa em defesa do nosso sistema de saúde público, compreendendo que, a partir dele, tivemos a democratização do acesso à saúde no nosso país de forma ampla e integral. Com o nosso SUS, o Brasil se tornou o único país com mais de 100 milhões de habitantes a levar assistência médica gratuita a toda população. E isso é fortemente relevante se pensarmos que, antes do SUS, a saúde pública estava atrelada totalmente a um viés econômico, desconsiderando as reais desigualdades da população. Tínhamos um sistema movido pela dinâmica do lucro e da produção, não dando um enfoque para a saúde íntegra dos trabalhadores.

Em pleno processo de redemocratização do Brasil, com a Constituição de 3 de Outubro de 1988, após um histórico sinuoso e permeado pelas resistências políticas e econômicas para criação de um sistema de saúde universal e democrático, discute-se um novo paradigma do conceito ampliado de saúde que se materializa na criação do Sistema Único de Saúde. O SUS é considerado hoje um dos melhores projetos de saúde pública do mundo devido ao seus princípios e diretrizes, que garantem um acesso universal a todos os cidadãos e cidadãs, inclusive estrangeiros. O protagonismo do SUS, sobretudo em um contexto de pandemia, está atrelado ao modo como se dissocia integralmente a saúde do conceito de mercadoria. Sabemos que ainda há críticos gargalos, bem atrelados às disparidades regionais brasileiras, a precarização do SUS e a mercantilização da saúde.

Ao se pensar sobre essas problemáticas, surge a necessidade de elaborarmos um evento sobre e pela Saúde Pública. Debater sobre o histórico político, os papéis de atuação, as políticas de saúde para populações marginalizadas socialmente e as perspectivas futuras do SUS é assumir uma postura política ativa diante tantos desmontes da saúde pública brasileira devido a um viés econômico neoliberal, que enxerga 'saúde' e 'mercadoria' nos mesmos campos semânticos. Defender o SUS é, portanto, um dever nosso enquanto futuros profissionais de saúde. Para além disso, defender o SUS é compreender que ele está intimamente atrelado à democracia. Porque o SUS é direito de todxs nós. Como diria o sanitarista Sergio Arouca em seu discurso de abertura na 8ª Conferência Nacional de Saúde (8ª CNS), realizada em 1986, "saúde é democracia e democracia é saúde".

Nesse Simpósio em defesa pela Saúde Pública, abordaremos temáticas que permeiam essa questão, tão necessária e atual, visto que entendemos que saúde não é meramente a ausência de doenças. Arouca ainda afirmava que saúde é "um bem-estar social que pode significar que as pessoas tenham mais alguma coisa do que simplesmente não estar doentes: que tenham direito à casa, ao trabalho, ao salário condigno, à água, à vestimenta, à educação, às informações sobre como dominar o mundo e transformá-lo". E justamente por isso, que a saúde é indissociável da democracia, e vice-versa, para coexistirem.

O I Simpósio pela Saúde Pública será totalmente gratuito e online. Será transmitido pelo canal do YouTube do CASAF (casafuerj) e enviaremos o link pelo email cadastrado aqui no doity. Além disso, contará com certificação de 15 horas complementares para os ouvintes que cumprirem 75% de presença (ou seja, o credencimento em, pelo menos, 7 das 10 palestras).

Contamos muito com a presença de vocês para esse evento que abordará temas sensíveis e de grande relevância para o contexto atual da saúde pública brasileira!

Palestrantes

  • Cesar Favoreto
  • José Gomes Temporão
  • Ligia Bahia
  • Renato Noguera
  • Ana Paula Procópio
  • Karen Athié
  • Eliene dos Santos
  • Kenneth Camargo
  • Naomar de Almeida Filho
  • Denize Ornelas

Programação

18h00 - Cesar Favoreto Abertura: 'Saúde é Democracia e Democracia é Saúde' Abertura
Abertura: "Saúde é Democracia e Democracia é Saúde"
Local: https://www.youtube.com/watch?v=tNlU4qRuvp8

Apresentamos com muito orgulho o 1º palestrante do I Simpósio pela Saúde Pública: Cezar Favoreto.

Cesar é médico, possui residência médica em Doenças Infecciosas e Parasitárias, mestrado e doutorado em Saúde Coletiva. Atualmente é professor associado do Departamento de Medicina Integral, Familiar e Comunitária da Faculdade de Ciências Médicas da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (DMIF/UERJ) e coordenador do Mestrado Profissional em Saúde da Família - PROFSAUDE-UERJ. Por fim, é membro do corpo permanente do Mestrado Profissional em Atenção Primária à Saúde da Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Ele ministrará a palestra de abertura: "Saúde é Democracia e Democracia é Saúde". Esse lema foi utilizado pelo sanitarista Sergio Arouca, em seu discurso de abertura na 8ª Conferência Nacional de de Saúde (8ª CNS), realizada em 1986. Em uma conjuntura econômica de constantes desmontes de políticas públicas, defender a democracia é, antes de mais nada, assumir uma postura ativa em defesa do nosso sistema de saúde pública, compreendendo que, a partir dele, tivemos a democratização do acesso à saúde no nosso país de forma ampla e integral. Com o SUS, o Brasil se tornou o único país com mais de 100 milhões de habitantes a levar assistência médica gratuita a toda população. E isso é fortemente relevante quando observa-se que, antes do SUS, a saúde pública estava atrelada totalmente a um viés econômico, desconsiderando as reais desigualdades da população.

O I Simpósio para a Saúde Pública será totalmente gratuito, online e será transmitido pelo canal do YouTube do CASAF (casafuerj). Além disso, contará com certificação de15 horas complementares para os ouvintes que cumprirem 75% de presença (ou seja, o credenciamento em, pelo menos, 6 das 8 palestras).

Maiores informações veja o Post Oficial nas páginas do instagram @casafuerj e @lamfacuerj.

Artista: @colateragem

18h30 - José Gomes Temporão Panorama histórico-político do SUS: a construção de um sistema de saúde universal Apresentação Oral
Panorama histórico-político do SUS: a construção de um sistema de saúde universal
Local: https://www.youtube.com/watch?v=wH4338JsJaw

Apresentamos com muito orgulho o 2º palestrante do I Simpósio pela Saúde Pública: José Gomes Temporão.

José Gomes Temporão é médico sanitarista e ex-ministro da Saúde. Possui Mestrado em Saúde Pública, Doutorado em Saúde Coletiva e atua ainda como Professor e pesquisador titular aposentado da Fundação Oswaldo Cruz. É Membro Titular da Academia Nacional de Medicina e Ex-membro do Cancer Control Advisory Committee - World Health Organization.

Ele ministrará a palestra "Panora histórico-político do SUS: a construção de um sistema de saúde universal. A história do Sistema Único de Saúde (SUS) se confunde com a história do processo de redemocratização pois seus princípios se baseiam na ideia central de que saúde é um direito de todo cidadão. Motivos não faltam para que se #defendaoSUS: é o maior sistema de saúde pública do mundo, permite acesso a saúde para a maioria dos brasileiros, realiza mais de 1,5 bilhão de procedimentos por ano, atua em diferentes áreas (de vigilância sanitária a epidemiologia), leva atendimento médico para o campo, possibilita acesso à medicamentos gratuitos, possui um amplo programa de vacinação e, por fim, é um direito constitucional. Ademais, durante o atual contexto de pandemia, nosso sistema possibilitou melhores estratégias de combate ao novo coronavírus. Nesse cenário, conhecer como o sistema foi construído e porque é necessário defende-lo é fundamental para que ele cresça e se fortaleça.

O I Simpósio para a Saúde Pública será totalmente gratuito, online e será transmitido pelo canal do YouTube do CASAF (casafuerj). Além disso, contará com certificação de 15 horas complementares para os ouvintes que cumprirem 75% de presença (ou seja, o credenciamento em, pelo menos, 6 das 8 palestras).

Maiores informações veja o Post Oficial nas páginas do instagram @casafuerj e @lamfacuerj.

Fotografia: Fiocruz, 8ª Conferência Nacional de Saúde (1986)

19h30 - Ligia Bahia Financiamento do SUS: os riscos de um desmonte neoliberal Apresentação Oral
Financiamento do SUS: os riscos de um desmonte neoliberal
Local: https://www.youtube.com/watch?v=cBmHQ0dql-g

Apresentamos com muito orgulho a 3ª palestrante do I Simpósio pela Saúde Pública: Ligia Bahia.

Ligia é médica, com Mestrado e Doutorado em Saúde Pública pela Fundação Oswaldo Cruz. Professora associada Universidade Federal do Rio de Janeiro, tem experiência na área de Saúde Coletiva, com ênfase em Políticas de Saúde Planejamento, principalmente nos seguintes temas: sistemas de proteção social e saúde, relações entre o público privado no sistema de saúde brasileiro, mercado de planos e seguros de saúde, financiamento público e privado, regulamentação dos planos de saúde.

Ela ministrará a palestra "Financiamento do SUS: os riscos de um desmonte neoliberal". O Financiamento do SUS é proveniente das ações tributárias de toda cidadã e cidadão brasileiro e, portanto, é um dinheiro do povo para o povo. As legislações brasileiras que regulamentam os repasses de verbas apresentam lacunas quanto aos percentuais de contribuição e possibilitam que o Estado e a União falhem em seus papéis, aumentando a demanda de investimentos do município. Historicamente, o financiamento da saúde pública no Brasil sempre foi precário: antes do SUS existiam contribuições dos trabalhadores organizados, com o SUS passou a ser instável e insuficiente, caracterizando real subfinanciamento do sistema desde a sua criação. Questões como renúncias fiscais e subvenções de dinheiro público para o setor privado de saúde possibilitaram expansão deste setor no SUS, o que subverte a ordem constitucional que preconiza o caráter complementar da iniciativa privada no Sistema Único de Saúde.

O I Simpósio pela Saúde Pública será totalmente gratuito, online e será transmitido pelo canal do YouTube do CASAF (casafuerj). Além disso, contará com certificação de 15 horas complementares para os ouvintes que cumprirem 75% de presença (ou seja, o credenciamento em, pelo menos, 6 das 8 palestras).

Para maiores informações, veja o Post Oficial nas páginas do instagram @casafuerj e @lamfacuerj.

Artista: @marcelacantuaria

18h00 - Renato Noguera Necropolítica, saúde e racismo Apresentação Oral
Necropolítica, saúde e racismo
Local: https://www.youtube.com/watch?v=GOMwGj_jq_k

Apresentamos com muito orgulho o 4º palestrante do I Simpósio pela Saúde Pública: Renato Noguera.

Renato é Doutor em Filosofia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e Professor da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ). Pesquisador do Laboratório de Estudos Afro-Brasileiros e Indígenas (Leafro), Coordenador do Grupo de Pesquisa Afroperspectivas, Saberes e Infâncias (Afrosin) e do projeto de Extensão Brinquedoteca Pedagoginga. É autor, roteirista, dramaturgo infantil.

Ele ministrará a palestra "Necropolítica, saúde e racismo". A Necropolítica é um conceito desenvolvido pelo filósofo negro, historiador, teórico político e professor universitário camaronense Achille Mbembe que, em 2003, escreveu um ensaio questionando os limites da soberania quando o Estado escolhe quem deve viver e quem deve morrer. Para Mbembe, quando se nega a humanidade do outro qualquer violência torna-se possível, de agressões até morte. No Brasil, durante os últimos passos governamentais diante da saúde pública essa ideia está cada vez mais presente, pois toda política se converte em uma necropolítica quando governantes determinam quais corpos devem viver ou morrer, ampliando ainda mais as desigualdades sociais.

O I Simpósio para a Saúde Pública será totalmente gratuito, online e será transmitido pelo canal do YouTube do CASAF (casafuerj). Além disso, contará com certificação de 15 horas complementares para os ouvintes que cumprirem 75% de presença (ou seja, o credenciamento em, pelo menos, 6 das 8 palestras).

Para maiores informações, veja o Post Oficial nas páginas do instagram @casafuerj e @lamfacuerj.

Artista: @mulambo.tu

19h00 - Ana Paula Procópio Saúde da população negra: o racismo como fator de adoecimento Apresentação Oral
Saúde da população negra: o racismo como fator de adoecimento
Local: https://www.youtube.com/watch?v=3vR5cTSvCIE

Apresentamos com muito orgulho a 5ª palestrante do I Simpósio pela Saúde Pública: Ana Paula Procópio.

Ana Paula é assistente social e psicóloga, professora adjunta da Faculdade de Serviço Social da UERJ. Doutora em Serviçoo Social. Coordenadora do Programa de Estudos e Debates dos Povos Africanos e Afro-americanos -PROAFRO UERJ. Coordenadora da Residência Integrada e Multiprofissional em Saúde Mental da UERJ. Conselheira na gestão do CRESS RJ - Triênio 2020/2023 - “Quem Cede a Vez Não Quer Vitória”.

Ela ministrará a palestra “Saúde da população negra: o racismo como fator de adoecimento".

E por que é necessário discutirmos Saúde da população negra?

Em 2009, houve a instituição da Política Nacional de Saúde Integral da População Negra. Em contrapartida, hoje, 11 anos depois, ainda vemos números alarmantes de fatos que demonstram o quanto a saúde da população preta é negligenciada: mulheres negras têm menor acesso ao pré-natal que mulheres brancas; mulheres negras recebem menos anestesia durante o parto; a morte de um homem preto sensibiliza menos a sociedade do que a morte de um homem branco. Esses, dentre muitos outros fatos, provam que a questão do viver da população preta ser desconsiderada não está diretamente relacionada com a raça, mas com o racismo.

Nessa palestra, será abordado “como” e “por que” o racismo faz com que as pessoas negras adoeçam mais do que pessoas brancas. É importante escurecermos que, como a população negra é a que mais depende do SUS, esse é um tema de extrema importância, não só aos profissionais da saúde, mas também para toda a população. Temos, no país, uma política pública de saúde voltada a essa população negligenciada há 11 anos, no entanto, se os dados comprovam que os números de adoecimento dessa população crescem constantemente, quer dizer que há vidas sendo mais valorizadas que outras. Diante disso, precisamos debater, cobrar e ser mudança nesse cenário!

O I Simpósio para a Saúde Pública será totalmente gratuito, online e será transmitido pelo canal do YouTube do CASAF (casafuerj). Além disso, contará com certificação de 15 horas complementares para os ouvintes que cumprirem 75% de presença (ou seja, o credenciamento em, pelo menos, 6 das 8 palestras).


Para maiores informações, veja o Post Oficial nas páginas do instagram @casafuerj e @lamfacuerj.
Artista: @rphl.cruz

20h00 - Karen Athié Saúde no Cárcere: discussão sobre a PNAISP no SUS Apresentação Oral
Saúde no Cárcere: discussão sobre a PNAISP no SUS
Local: https://www.youtube.com/watch?v=aaGZwmwJx78

Apresentamos com muito orgulho a 6ª palestrante do I Simpósio pela Saúde Pública: Karen Athie.

Karen é graduada em psicologia pela Universidade Federal do Espírito Santo, possui PHD em Ciências pela Faculdade de Ciências Médicas (FCM/UERJ), é superintendente de atenção psicossocial e populações em situação de vulnerabilidade no Estado do RJ e membro do comitê executivo da Global Mental Health Peer Network.

Ela ministrará a palestra "Saúde no cárcere: discussão sobre a PNAISP no SUS", tema de grande relevância na conjuntura atual da saúde pública brasileira. Nesse contexto, a Política Nacional de Atenção Integral à Saúde das Pessoas Privadas de Liberdade no Sistema Prisional (PNAISP) é um documento norteador e será alvo dessa apresentação.

O I Simpósio pela Saúde Pública será totalmente gratuito, online e será transmitido pelo canal do YouTube do CASAF (casafuerj). Além disso, contará com certificação de 15 horas complementares para os ouvintes que cumprirem 75% de presença (ou seja, o credenciamento em, pelo menos, 6 das 8 palestras).

Para maiores informações, veja o Post Oficial nas páginas do instagram @casafuerj e @lamfacuerj.

Artista: @amphos1

21h00 - Eliene dos Santos O “Bem Viver” dos Povos Indígenas Apresentação Oral
O “Bem Viver” dos Povos Indígenas
Local: https://www.youtube.com/watch?v=Gzsxy74up-I

Apresentamos com muito orgulho a 7ª palestrante do I Simpósio pela Saúde Pública: Eliene dos Santos Rodrigues.

Eliene é Putira Sacuena, indígena da etnia Baré. Doutoranda e mestre em Antropologia, possui também graduação em Biomedicina. Tem experiência na área de Genética, com ênfase em Genética de Populações e atualmente participa de grupos de pesquisa, realizando estudos Antropológicos, epidemiológicos e genéticos de populações humanas da Amazônia: indígenas, afro-brasileiros (quilombolas) e ribeirinhos. É, ainda, Vice-Presidente da Liga Acadêmica de Saúde Indígena no Estado do Pará.

Ela ministrará a palestra "O 'Bem Viver' dos Povos Indígenas". Segundo a Carta aberta ao Diretor Geral da Organização Mundial da Saúde – Pelos Povos Indígenas de todo o mundo “os registros históricos dos impactos devastadores de doenças infectocontagiosas sobre os povos indígenas e suas comunidades sempre estiveram correlacionados com a invasão e ocupação de seus territórios. Neste contexto, é necessário que as autoridades considerem que, na atualidade, mesmo quando a pandemia freia a economia, o garimpo e o desmatamento ilegal em terras indígenas do continente permanecem a todo vapor”. Assim, as centenas de etnias brasileiras sofrem um impacto frontal no seus sistemas de saúde, em sua maioria com composição diversa do modelo biomédico ocidental, com impactos importantes na qualidade de vida de seus habitantes. Desse modo, desafios estruturais, especialmente relacionados à posse e à gestão da terra tornam urgente e necessário o debate sobre a proteção da saúde, cultura, história dos povos indígenas.

O I Simpósio pela Saúde Pública será totalmente gratuito, online e será transmitido pelo canal do YouTube do CASAF (casafuerj). Além disso, contará com certificação de 15 horas complementares para os ouvintes que cumprirem 75% de presença (ou seja, o credenciamento em, pelo menos, 6 das 8 palestras).

Para maiores informações, veja o Post Oficial nas pa?ginas do @casafuerj e @lamfacuerj.

Artista: @mendesaua.art

18h00 - Kenneth Camargo Anticientificismo, negacionismo e movimento antivacina Apresentação Oral
Anticientificismo, negacionismo e movimento antivacina
Local: https://www.youtube.com/watch?v=_1uWsIaiXc0

Apresentamos com muito orgulho o 8º palestrante do I Simpósio pela Saúde Pública: Kenneth Camargo.

Kenneth é médico, com mestrado e doutorado em Saúde Coletiva pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro, além de pós-doutorado na McGill University em 2000/2001. Atualmente é Professor Titular da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, editor associado do American Journal of Public Health e editor da revista Physis.

Ele ministrará a palestra "Anticientificismo, negacionismo e movimento antivacina", com temas que permeiam o cenário de pandemia diante do novo coronavírus e têm desdobramentos nos campos político, econômico e social da realidade brasileira.

O I Simpósio pela Saúde Pública será totalmente gratuito, online e será transmitido pelo canal do YouTube do CASAF (casafuerj). Além disso, contará com certificação de 15 horas complementares para os ouvintes que cumprirem 75% de presença (ou seja, o credenciamento em, pelo menos, 6 das 8 palestras).

Para maiores informações, veja o Post Oficial nas páginas do instagram @casafuerj e @lamfacuerj.

Projeção: @riscoderua / fotógrafo: @bernardoguerreiro / @midianinja

19h00 - Naomar de Almeida Filho Saúde coletiva no Brasil hoje: desafios e perspectivas durante a pandemia Apresentação Oral
Saúde coletiva no Brasil hoje: desafios e perspectivas durante a pandemia
Local: https://www.youtube.com/watch?v=2ZChWQ-jjN8

Apresentamos com muito orgulho o 9º palestrante do I Simpósio pela Saúde Pública: Naomar de Almeida Filho.

Naomar é médico, mestre em Saúde Comunitária, Ph.D. em Epidemiologia e professor Titular de Epidemiologia no Instituto de Saúde Coletiva da UFBA. Além disso, é também Doctor of Science Honoris Causa: McGill University, Canadá e foi professor visitante nas seguintes universidades: Universidade da Carolina do Norte, em Chapel Hill, Universidade da Califórnia em Berkeley, Universidade de Montreal e Universidade Harvard; e professor titular da Cátedra Juan Cesar Garcia da Universidad de Guadalajara, México. Atualmente, é professor aposentado do Instituto de Saúde Coletiva da UFBA, onde atua como Coordenador do INCTI Inovação, Tecnologia e Equidade em Saúde - INTEQ-Saúde, e Professor Visitante no Instituto de Estudos Avançados da Universidade de São Paulo (USP).

Ele ministrará a palestra "Saúde coletiva no Brasil hoje: desafios e perspectivas durante a pandemia". A saúde coletiva é uma área de conhecimento multidisciplinar construída na interface dos conhecimentos produzidos pelas ciências biomédicas e pelas ciências sociais. Dentre outros, tem por objetivo investigar os determinantes da produçaõ social das doenças com o fito de planejar a organização dos serviços de saúde. Nesse sentido, por meio de uma visão mais ampliada do conceito de saúde-doença, o professor Naomar seguirá sua apresentação abordando a nossa atual crise de saúde: a pandemia do novo coronavírus.

O I Simpósio pela Saúde Pública será totalmente gratuito, online e será transmitido pelo canal do YouTube do CASAF (casafuerj). Além disso, contará com certificação de 15 horas complementares para os ouvintes que cumprirem 75% de presença (ou seja, o credenciamento em, pelo menos, 6 das 8 palestras).

Para maiores informações, veja o Post Oficial nas páginas do instagram @casafuerj e @lamfacuerj.

Artista: @inter.pretar

20h00 - Denize Ornelas Saúde Pública na Contemporaneidade: Desafios e Perspectivas Pós pandemia Apresentação Oral
Saúde Pública na Contemporaneidade: Desafios e Perspectivas Pós pandemia
Local: https://www.youtube.com/watch?v=IbjuwIyn1Xg

Apresentamos com muito orgulho a 10ª palestrante do I Simpósio pela Saúde Pública: Denize Ornellas.

Denize é Médica de Família e Comunidade, mestre em Saúde da Família, especialista em Processos Educacionais na Saúde e coordenadora do Programa de Residência Me?dica de MFC da Secretaria de Saúde de São Bernardo do Campo. Atua ainda como coordenadora do Grupo de Trabalho Mulheres na Medicina de Fami?lia e Comunidade da SBMFC e diretora de Comunicação da Sociedade Brasileira de Medicina de Família e Comunidade (2018-jul/2020).

Ela ministrará a palestra "Saúde Pública na contemporaneidade: desafios e perspectivas pós pandemia", tema de fundamental relevância no cenário da saúde pública brasileira após a pandemia do novo coronavírus. A crise de saúde pública pode ser considerada um divisor de águas capaz de provocar mudanças profundas no comportamento das pessoas. A interferência dessa nova dinâmica terá impacto direto no bem-estar biopsicossocial espiritual de todos aqueles que são afetados direta e indiretamente pelo atual fenômeno. Nesse sentido, a saúde do Brasil terá que se reinventar diante de novas formas de trabalho, lazer, mobilidade urbana e educação.

O I Simpósio pela Saúde Pública será totalmente gratuito, online e será transmitido pelo canal do YouTube do CASAF (casafuerj). Além disso, contará com certificação de 15 horas complementares para os ouvintes que cumprirem 75% de presença (ou seja, o credenciamento em, pelo menos, 6 das 8 palestras).

Para maiores informações, veja o Post Oficial nas páginas do @casafuerj e @lamfacuerj.
??
Artista: @uendelns

Organizador

Centro Acadêmico Sir Alexander Fleming e Liga Acadêmica de Medicina de Família e Comunidade da UERJ

O Centro Acadêmico Sir Alexander Fleming (CASAF) é a entidade representativa dos estudantes de medicina da UERJ. Foi criado em 1938 e, a partir dos anos 60, passa a ter forte forte atuação política devido à crescente demanda do movimento estudantil. Durante a ditadura civil-militar, fomos um importante local de resistência ao governo pelos nossos alunos. Nesse período, no mesmo mês em que entra em vigor o AI-5, nossa sede foi bombardeada pelos militares e, logo em seguida, nosso centro acadêmico foi impedido de funcionar. Atualmente, somos considerados o terceiro maior CA do país e continuamos sendo atores políticos: lutando por um ensino público, gratuito e de qualidade e defendendo, a todo custo, a democracia e o SUS.

A Liga Acadêmica de Medicina de Família e Comunidade (LAMFaC) tem como foco as atividades que vão além dos muros acadêmicos. Desenvolve seus trabalhos, especialmente, por meio de projetos de extensão (em parcerias com movimentos sociais), em estágios de vivências em Clínicas da Família, bem como na realização de eventos que abordem temas de grande repercussão no cotidiano das famílias e das comunidades e que não são contemplados tradicionalmente pelos currículos dos cursos da área da saúde.