III MOSTRA DE PRÁTICAS EM PSICOLOGIA E POLÍTICAS PÚBLICAS NA BAHIA

Ao longo dos anos os campos de práticas em Psicologia vêm se ampliando e alcançando os mais variados âmbitos, principalmente se considerarmos os avanços das políticas sociais, bem como o atual quadro de retrocessos enfrentados na presente conjuntura de crise social e política que, por sua vez, influencia direta ou indiretamente nos espaços em que a psicologia ocupa.

Atualmente, as políticas públicas se configuram como o espaço de grande inserção desses profissionais, como discutido por Mandelbaum (2012) que vê o campo social como “território fértil”, um verdadeiro laboratório para a produção em Ciências Humanas, uma vez que cada vez mais o social e o psicológico são concebidos de modo indissociável.

Com o objetivo de visibilizar práticas ligadas à psicologia e políticas públicas, bem como de interiorizar e desse modo divulgar o que tem sido proposto e desenvolvido no estado baiano, o Centro de Referência Técnica em Psicologia e Políticas Públicas (CREPOP), órgão operacional do Conselho Regional de Psicologia 3ª região (CRP-03), tem procurado construir espaços coletivos de discussão, convocando a categoria e os estudantes de Psicologia a repensarem seus papéis nas políticas públicas e assim potencializar os espaços de atuação em todas as suas instâncias.

A Mostra de Práticas em Psicologia e Políticas Públicas concretiza esse papel. Desde sua primeira edição, em 2016, agrega trabalhos de todo o estado da Bahia, evidenciando a pluralidade do fazer psi nesse território.

Em sua terceira edição, a Mostra celebrará os 15 anos do Centro de Referência Técnica em Psicologia e Políticas Públicas (CREPOP) e pautará os seguintes eixos temáticos nos trabalhos submetidos e nos debates da programação em geral:

a) PSICOLOGIA E POLÍTICAS PÚBLICAS PARA A POPULAÇÃO LGBTQI+, SEXUALIDADES E QUESTÕES DE GÊNERO

O eixo temático propõe debater trabalhos que discutem as especificidades das identidades de gênero, sexualidades e demais interseções envoltas nas lutas e vivências de lésbicas, gays, bissexuais, pessoas transexuais, travestis, intersexo, dentre outras. Através de perspectivas políticas, epistemológicas, sociais, culturais, históricas, econômicas e/ou subjetivas, cabem no eixo produções que contribuam para promoção de Direitos Humanos, equidade e transformação de paradigmas hegemônicos de opressão.

b) PSICOLOGIA, POLÍTICAS PÚBLICAS E RELAÇÕES ÉTNICO-RACIAIS

Esse eixo visa a congregar trabalhos que sejam frutos de práticas profissionais em psicologia desenvolvidos em políticas públicas de promoção de direitos nas áreas de educação, saúde, assistência social, socioeducação, segurança ou correlatas que garantam a transversalidade de aspectos raciais ou étnicos, com categorias de gênero, sexualidade, geração, territorialidades, comunidades tradicionais que tenham como finalidade promover maior equidade racial, superação de situações de vulnerabilidade e violação de direitos. Em face dos processos de ataques ao princípio da laicidade, esse eixo também circunscreve práticas que abordem situações de intolerância religiosa e/ou racismo religioso que afetem grupos religiosos minorizados ou mesmo de promoção religiosa em interface com processos identitários étnico-raciais e de bases comunitárias e/ou populares.

c) PSICOLOGIA, POLÍTICAS PÚBLICAS E EDUCAÇÃO

O eixo visa debater a atuação da/o psicóloga/o nos contextos escolar e educacional. Pretende-se, com isso, defender a educação como política pública essencial e justificar a importância da psicologia neste campo e qualificar, a partir de uma perspectiva crítica, os discursos e práticas apresentados. Cabem aqui temas relacionados a: inclusão escolar; escolarização, ensino e aprendizagem; práticas não medicalizantes; formação de professores; pesquisa em educação; tecnologias e educação; escola, família e sociedade; docência; dentre outros.

d) PSICOLOGIA E POLÍTICAS PÚBLICAS DE SAÚDE

Este eixo se volta a debater a atuação profissional da/o psicóloga/o na RAPS, trazendo pressupostos que reforçam um cuidado à saúde mental executado de modo crítico e comprometido com os Direitos Humanos. Busca-se, com isso, dialogar acerca da atuação em rede e atuação interdisciplinar, gestão, controle social, movimentos sociais em saúde (foco nos movimentos antimanicomiais), dentre outros. Incluem-se também, neste eixo, trabalhos executados em outros espaços do Sistema Único de Saúde. Este eixo se configura como uma defesa ao SUS universal, gratuito e de qualidade. Propõe-se debater trabalhos desenvolvidos no âmbito da Política Pública de Saúde em serviços de atenção primária, secundária e terciária, incluindo gestão, estratégia de matriciamento e assistência aos usuários e experiência com espaços de controle social. Há também espaço para debater as interfaces entre a psicologia e Práticas Integrativas e Complementares em Saúde reconhecidas pelo SUS.

e) PSICOLOGIA E SISTEMA ÚNICO DE ASSISTÊNCIA SOCIAL

Este eixo visa a promover um debate aprimorado acerca da inserção da psicologia no campo da assistência social. Serão expostos temas concernentes a esta área tais quais: atuação multiprofissional e interdisciplinar; gestão do SUAS; elaboração de documentos; interface com a rede de políticas públicas; controle social, dentre outros. Defende-se aqui a relevância da/o psicóloga/o na efetivação da Política de Assistência Social e a especificidade desta/e profissional nas equipes que compõem os serviços socioassistenciais.

f) PSICOLOGIA EM INTERFACE COM A JUSTIÇA

Neste eixo, serão discutidas as atuações realizadas no âmbito judiciário ou em interface com a justiça, evidenciando tensões e avanços, bem como revelando os territórios conquistados pela psicologia nesta área.

g) PSICOLOGIA, POLÍTICAS PÚBLICAS, MOBILIDADE HUMANA E TRÂNSITO

Este eixo objetiva promover uma discussão sobre a psicologia neste contexto que contemple e amplie os espaços tradicionalmente ocupados. Assim, busca-se dialogar além do trânsito, abordando assuntos referentes ao planejamento urbano, educação, cidadania e segurança, além de debater a construção de teorias e práticas para um trânsito mais seguro.

h) PSICOLOGIA, POLÍTICAS PÚBLICAS, TRABALHO E ORGANIZAÇÕES

Este eixo busca contemplar as práticas referentes à atuação com psicologia organizacional e do trabalho. Pretende-se debater desenvolvimento humano e organizacional; saúde do trabalhador; programas e projetos de diversidade no trabalho; psicologia na gestão pública; economia solidária; formação profissional; processos de recrutamento e seleção; dentre outras temáticas referentes à atuação profissional em políticas públicas.

i) PSICOLOGIA E POLÍTICAS PÚBLICAS NO ENFRENTAMENTO DA PANDEMIA DA COVID-19

O eixo pretende dar visibilidade específica às experiências que contribuiram para o enfrentamento da pandemia da Covid-19 na Bahia e no Brasil, desenvolvidas no âmbito das diversas políticas públicas, tendo como objetivo discutir o planejamento e execução de programas, estratégias de gestão, de atenção aos usuários e de participação em ações de controle social.

Leia mais... →

LOCAL DO EVENTO

Evento online
Você receberá o link de transmissão próximo ao evento.