DOSTOIÉVSKI: LITERATURA E SOCIEDADE

DOSTOIÉVSKI: LITERATURA E SOCIEDADE

Faça sua inscrição
De 24 a 27 de agosto Todos os dias das 14h00 às 17h00
Evento online Clique aqui

Sobre o Evento

Conferência do professor Augusto Ponzio:

<https://teams.microsoft.com/l/meetup-join/19%3ameeting_MmM0YmU5MjEtMWM3Ni00MWZmLWEwYzctOWEyMGE4ZDFkZDdm%40thread.v2/0?context=%7b%22Tid%22%3a%22ec359ba1-630b-4d2b-b833-c8e6d48f8059%22%2c%22Oid%22%3a%22fa422a3b-d1a8-41fe-8390-073bab3f5029%22%7d>

Acesse pelo site de inscrição do evento

thumb

DOSTOIÉVSKI: LITERATURA E SOCIEDADE

Em uma resposta às ideologias da Rússia do século XIX, Dostoiévski apresenta o conflito entre ocidentalismo e eslavismo, razão e fé, racionalismo e desejo, entre outras questões. Segundo Mikhail Bakhtin, Dostoievski responde a essas questões criando uma nova forma literária: o romance polifônico. Passados duzentos anos do nascimento do autor, a obra de Dostoiévski continua despertando interesse, apesar da diferença de contextos. O seminário Dostoievski: literatura e sociedade aborda essa permanência, por meio de trabalhos que confrontam o que Bakhtin denomina “ideologia geradora da forma” em Dostoiévski, o neste início século XXI, explorando a relação dialógica de sua obra de Dostoievski com a literatura, a filosofia, o cinema e a psicanálise.

PROGRAMAÇÃO GERAL

24.08 (terça)

25.08 (quarta)

26.08 (quinta)

27.08 (sexta)

14h

PAULO BEZERRA

Dialogismo e polifonia em Crime e castigo

JOÃO VIANNEY CAVALCANTI NUTO

Memórias dos palácios de cristal: Tchernichevski, Dostoievski e Zamiatin

OTÁVIO PERRONI

O riso destronador contra o elitismo monológico em Uma história desagradável, de Fiódor M. Dostoiévski

AUGUSTO PONZIO

Dostoiévski: a arte de falar do outro como se ele falasse de si mesmo, tornando-se assim inevitavelmente amado"

14h30min

HIOLENE CHAMPLONI

Um pequeno herói: a sensibilidade e a descoberta do amor como salvação em Fiódor Dostoiévski

ELIZABETE BARROS

Dos corpos aos crematórios: ideologia e riso em Bobók

15h

LETICIA BORGES

O homem revoltado em Os irmãos Karamázov e O sétimo selo

KELLY FABÍOLA VIANA DOS SANTOS

O cantarolar e o vislumbre da impossibilidade de acesso ao outro em A Dócil, de Dostoiévski

15h30min

DEBATE E INTERVALO

DEBATE E INTERVALO

16h

EUSÉBIO DJÚ

Memória coletiva: uma perspectiva comparativa de Recordações da Casa dos Mortos de Fiódor Dostoiévsky e Mortu Nega, de Flora Gomes

NEIVA DE SOUZA BOENO

O discurso amoroso e os cronótopos literários: entre sonho, realidade e ilusão em Dostoiévski

16h30

LARISSA TUNES

Um conto de fadas às avessas

ROBERTO MEDINA

Notas do nosso subterrâneo: o endereçamento ao outro

17h

JOÃO FÉLIX DE LIMA

Entredentes e serpentários: formas das sombras no discurso de Dostoiévski e Nazarian

17h30min

DEBATE

DEBATE

Palestrantes

  • Paulo Bezerra - Comunicação: Dialogismo e polifonia em Crime e castigo
  • Augusto Ponzio - Comunicação: Dostoiévski: a arte de falar do outro como se ele falasse de si mesmo, tornando-se assim inevitavelmente amado"
  • Dr. Otávio Augusto Buzar Perroni

Programação

Comunicadores

CADERNO DE RESUMOS

Às14h00 - O EVENTO A SER REALIZADO ONLINE

Edições Anteriores

Organizador

Grupo de Pesquisa Literatura e Cultura



Grupo de pesquisa Literatura e Cultura da Universidade de Brasília

O Grupo de Pesquisa em Literatura e Cultura congrega pesquisadores que buscam compreender o fenômeno literário a partir de suas relações com o sistema da cultura, tendo como principal referência teórica a obra de Mikhail Bakhtin, mas abrangendo também pensamentos teóricos afins, como os trabalhos de Escola de Tartu, com sua proposta de uma semiótica da cultura, dentre outros. Além disso, agrega a contribuição de outras disciplinas, como a Antropologia, a Análise Crítica do Discurso, os Estudos Interartes e os Estudos da Performance, na medida em que as reflexões e os dados oriundos dessas áreas do conhecimento sejam pertinentes para o estudo do discurso literário. A partir desta perspectiva, o Grupo de Pesquisa em Literatura e Cultura procura complementar as abordagens formais e sociológicas, entendendo a literatura não apenas como uma série autônoma, tampouco reflexo da sociedade, mas também como um discurso que interage com a cultura por meio da relação entre as obras e os gêneros literários (e demais gêneros do discurso), entendidos não como formas definidas a priori, mas como produtos da dinâmica da cultura. Portanto, admite que a autonomia do objeto estético é relativa e que o sistema literário reconstrói-se constantemente, em resposta a injunções do sistema cultural. Com isso, ao invés de partir de uma concepção essencialista, o Grupo investiga as transformações do próprio discurso literário, por meio de suas relações com os demais discursos, incluindo a análise da reelaboração estética em obras específicas. Assim, além de propor uma análise de obras do passado por meio de interações dialógicas com a cultura, o Grupo busca também responder a temas atuais, em tempos de forte presença de outros discursos e de outras mídias, de produção literária em um contexto pós-colonial e de valorização da cultura popular, entre outros fatores que tornam problemáticas as próprias fronteiras do discurso literário na contemporaneidade.