V SEMCBIO

V SEMCBIO

Faça sua inscrição
De 23 a 27 de novembro Todos os dias das 14h00 às 21h00
Evento online Clique aqui

Sobre o Evento

Passados mais de 10 anos desde sua primeira edição em 2009. A Semana Semana de Ciências Biológicas da UNEB / Campus II, vem se consolidando ao longo desses últimos 03 anos em que o evento vem sendo realizado de forma periódica ( II SEMCBIO, 2017, III SEMCBIO 2018 e IV SEMCBIO, 2019). A partir da sua III edição, o evento passou a ser organizado pelos estudantes, sob orientação do Diretório Acadêmico de Biologia, Empresa Verde JR e supervisão de professores ligados a Coordenação geral do evento e Comissão científica, com o apoio da instituição e Colegiado do Curso de Ciências Biológicas. A V SEMCBIO terá, na sua quinta edição, o tema *Biologia, a Ciência das redes de interações para construção do conhecimento e da vida" e acontecerá entre os dias 23 e 27 de novembro, e terá em sua programação palestras, minicursos e apresentações de trabalhos científicos.

Palestrantes

  • Prof. Denis Leonard Filer
  • Prof. Dr. Carlos Afonso Nobre
  • Profa. Ma. Juzenilda Gomes Figueredo.
  • Profa. Dra. Suzana Telles da Cunha Lima
  • Me. Lucas da Penha Xavier
  • Prof. Dr. José Marcos de Castro Nunes
  • Profa. Dra. Gabriela Castaño Meneses
  • Prof. Dr. Jorge Luiz Fortuna
  • Prof. Dra. Ana Paula Penha Guedes
  • Prof. Dr. Marcos Batista Figueredo
  • Prof. Dr. Michael John Hopkins
  • Me. Rodrigo Paidano Alves
  • Dra. Andréa Cruz
  • Profa. Dra. Ana Lorena de Oliveira Bruel
  • Profa. Dra. Elizabeth da Rocha Couto

Programação

13h30 Cerimônia de abertura Abertura
Local: Youtube
14h30 - Me. Rodrigo Paidano Alves Flora Antártica: Biodiversidade, Evolução e Biotecnologia Palestra
Local: Youtube

Quando falamos do continente Antártico, as primeiras imagens que surgem em nossas mentes são de gelo e pinguins, mas nesse reino gelado existe muito mais do que isso! Há uma diversidade incrível de macro e microrganismos no ambiente terrestre. Essa palestra tem com objetivo explorar a biodiversidade nas comunidades vegetais em áreas de degelo, assim como seus aspectos evolutivos e biotecnológicos.

16h00 - Me. Lucas da Penha Xavier Escamas de Bromeliaceae e o seu papel na sobrevivência das espécies decorrentes na Caatinga. Palestra
Local: YouTube
17h30 - Prof. Dr. Michael John Hopkins Que sabemos da flora da Amazônia ? Palestra
Local: YouTube
14h00 - Prof. Denis Leonard Filer Managing biodiversity data using BRAHMS - Gerenciando dados de biodiversidade usando o BRAHMS. Palestra
Local: YouTube
15h30 - Profa. Dra. Suzana Telles da Cunha Lima Bioprospecção e Biotecnologia de microalgas. Palestra
Local: YouTube
17h00 - Prof. Dra. Ana Paula Penha Guedes Vamos conversar sobre Biologia Marinha? Palestra
Local: YouTube
14h00 - Dra. Andréa Cruz A biodiversidade Antártica e o Brasil Palestra
Local: Youtube
15h30 - Prof. Dr. José Marcos de Castro Nunes Biodiversidade de macroalgas marinhas na Bahia, à luz da taxonomia polifásica. Palestra
Local: YouTube
17h00 - Prof. Dr. Carlos Afonso Nobre Urgência climática Palestra
Local: YouTube
14h00 - Profa. Dra. Gabriela Castaño Meneses Mundos pequeños, interacciones de microartopodos en hormigueros. Palestra
Local: YouTube
15h30 - Prof. Dr. Jorge Luiz Fortuna Identificação de fungos no extremo sul da Bahia. Palestra
Local: YouTube
17h00 - Profa. Ma. Juzenilda Gomes Figueredo. Parque Nacional marinho dos Abrolhos Palestra
Local: YouTube
14h00 - Prof. Dr. Marcos Batista Figueredo Uma revisão sobre reciclagem de excrementos humanos como meio para geração de energia limpa Palestra
Local: YouTube
15h30 - Profa. Dra. Elizabeth da Rocha Couto Monitoramento da Qualidade do Ar no Brasil - Cenários e Desafios Palestra
Local: YouTube
17h00 - Profa. Dra. Ana Lorena de Oliveira Bruel A educação e os desáfios para o enfrentamento das desigualdades no mundo contemporâneo. Palestra
Local: Youtube
19h00 Cerrado: uma visão geral Minicurso
Local: Google Meet

A minicurso será ministrado em duas partes, na primeira parte será abordado o aspecto físico do Cerrado e na segunda a ocupação humana e suas consequências. Como se trata de um assunto muito extenso, a abordagem será generalista sem se aprofundar nas especificações.

19h00 Plantas medicinais: mitos e verdades Minicurso
Local: Google Meet

O uso das plantas e seus derivados no tratamento das doenças remonta às origens da humanidade. Entretanto, o desenvolvimento das diferentes civilizações fez com que cada povo agregasse valores diferenciados ao uso das plantas como remédio, placebo e até mesmo veneno. Desta forma, o conhecimento cientifico e o tradicional se interpolam na busca da cura pela Natureza. Este minicurso pretende discutir os aspectos referentes aos conceitos, formas de preparo, identificação, indicações e cuidados referentes ao uso de plantas medicinais, com ênfase nos avanços da pesquisa científica que comprovam o valor fitoterápico de algumas espécies tradicionalmente indicadas pela medicina popular.

19h00 Estudo de Componentes Biogênicos em Sedimentos Superficias de Praias. Minicurso
Local: Google Meet
19h00 A importância do estudo das Briófitas na conservação da biodiversidade Minicurso
Local: Google Meet

Será exposto para os alunos de forma clara e concisa a importância em se trabalhar com briófitas, as possibilidades e perspectivas futuras frente aos grupos que serão apresentados. As Divisões taxonômicas nas quais as briófitas estão inseridas (Marchantiophyta, Bryophyta e Anthocerotophyta) serão abordadas elencando os principais grupos e algumas características morfológicas serão elencadas, fornecendo indícios taxonômicos para a caracterização de alguns grupos. Concomitantemente serão fornecidas informações precisas de como reconhecer uma briófita em campo e as metodologias de coletar e herborização. Ao final do minicurso será realizada uma dinâmica com os alunos, onde imagens serão expostas no intuito de saber se os alunos conseguem perceber a presença de briófitas no campo ou até mesmo saber a qual divisão elas pertencem.

19h00 One Hearth (Saúde Única): o ambiente, os animais e o homem. Minicurso
Local: Google Meet

Conceito de saúde única. Geossistemas e processos envolventes. Desequilíbrio ambiental versus saúde humana e animal.

19h00 Macroinvertebrados e a qualidade da água em ambientes de águas continentais Minicurso
Local: Google Meet

Os Macroinvertebrados compreendem uma comunidade de organismos que ocorrem em ambientes de águas continentais com tamanho superior a 0,20 mm. Incluem principalmente representantes dos Insecta, Annelida, Crustacea e Mollusca. Colonizam o substrato de fundo (bentos), podem viver na água de fundo (hiperbentos), sobre o substrato (epifauna), se enterrar em sedimento mais fino (infauna) ou ocupar os espaços entre os grãos de areia (fauna intersticial) ou associados a vegetação (fitófilos) ou ao filme superficial (nêuston). Estes organismos são especialmente úteis em atividades de Biomonitoramento da qualidade de águas continentais.

19h00 Cerrado: uma visão geral Minicurso
Local: Google Meet

A minicurso será ministrado em duas partes, na primeira parte será abordado o aspecto físico do Cerrado e na segunda a ocupação humana e suas consequências. Como se trata de um assunto muito extenso, a abordagem será generalista sem se aprofundar nas especificações.

19h00 Plantas medicinais: mitos e verdades Minicurso
Local: Google Meet

O uso das plantas e seus derivados no tratamento das doenças remonta às origens da humanidade. Entretanto, o desenvolvimento das diferentes civilizações fez com que cada povo agregasse valores diferenciados ao uso das plantas como remédio, placebo e até mesmo veneno. Desta forma, o conhecimento cientifico e o tradicional se interpolam na busca da cura pela Natureza. Este minicurso pretende discutir os aspectos referentes aos conceitos, formas de preparo, identificação, indicações e cuidados referentes ao uso de plantas medicinais, com ênfase nos avanços da pesquisa científica que comprovam o valor fitoterápico de algumas espécies tradicionalmente indicadas pela medicina popular.

19h00 Estudo de Componentes Biogênicos em Sedimentos Superficias de Praias. Minicurso
Local: Google Meet
19h00 A importância do estudo das Briófitas na conservação da biodiversidade Minicurso
Local: Google Meet

Será exposto para os alunos de forma clara e concisa a importância em se trabalhar com briófitas, as possibilidades e perspectivas futuras frente aos grupos que serão apresentados. As Divisões taxonômicas nas quais as briófitas estão inseridas (Marchantiophyta, Bryophyta e Anthocerotophyta) serão abordadas elencando os principais grupos e algumas características morfológicas serão elencadas, fornecendo indícios taxonômicos para a caracterização de alguns grupos. Concomitantemente serão fornecidas informações precisas de como reconhecer uma briófita em campo e as metodologias de coletar e herborização. Ao final do minicurso será realizada uma dinâmica com os alunos, onde imagens serão expostas no intuito de saber se os alunos conseguem perceber a presença de briófitas no campo ou até mesmo saber a qual divisão elas pertencem.

19h00 One Hearth (Saúde Única): o ambiente, os animais e o homem. Minicurso
Local: Google Meet

Conceito de saúde única. Geossistemas e processos envolventes. Desequilíbrio ambiental versus saúde humana e animal.

19h00 Macroinvertebrados e a qualidade da água em ambientes de águas continentais Minicurso
Local: Google Meet

Os Macroinvertebrados compreendem uma comunidade de organismos que ocorrem em ambientes de águas continentais com tamanho superior a 0,20 mm. Incluem principalmente representantes dos Insecta, Annelida, Crustacea e Mollusca. Colonizam o substrato de fundo (bentos), podem viver na água de fundo (hiperbentos), sobre o substrato (epifauna), se enterrar em sedimento mais fino (infauna) ou ocupar os espaços entre os grãos de areia (fauna intersticial) ou associados a vegetação (fitófilos) ou ao filme superficial (nêuston). Estes organismos são especialmente úteis em atividades de Biomonitoramento da qualidade de águas continentais.

19h00 Fanzine e divulgação científica: O que é, como fazer ? Minicurso
Local: Google Meet

Fanzines (zines) são autopublicações artesanais e independentes em que a/o autor/a cria sua própria revista com os assuntos de sua preferência e é responsável por todo processo editorial, de elaboração de conteúdo, impressão, etc. até chegar ao público! Os Zines tem sido amplamente utilizados no ensino de ciências e saúde, como estratégias de ensino-aprendizagem e para divulgação científica! Nesta oficina vamos ver um breve panorama dos fanzines na Ciências e saúde e partilhar as etapas básicas sobre como criar seu zine ou microzine! Esta oficina é aberta à todos/as: estudantes, educadores/as, público em geral, inclusive para quem quiser utilizar essa metodologia em suas práticas educativas! Separe seu papel, caneta, ideias, poesias, textos, desenhos, recortes de revistas e tudo mais que possa ser usado na elaboração do seu zine experimental! A proposta da oficina será criar um MICROZINE!

19h00 Levantamento Bibliográfico e Gerenciamento de Referências em Plataformas Online Minicurso
Local: Google Meet

A partir de uma busca acerca da literatura publicada que existe a possibilidade de fundamentação e de consistência em um estudo. Os levantamentos bibliográficos têm a função de nortear uma pesquisa, embasando a metodologia aplicada, bem como, ao trabalho de um modo geral. Tal revisão de trabalhos publicados é fundamental, já que demonstra segurança, cuidado e conhecimento que o pesquisar tem sobre um determinado tema. Entretanto, nem sempre é uma tarefa simples encontrar artigos e/ou periódicos de modo gratuito e legal, o que dificulta e limita o acesso sobre um determinado assunto. Outro ponto importante, é a aplicação adequada de citações e referências em um texto, já que tais informações são essenciais para a escrita de um bom texto. Diante disso, o minicurso proposto tem o objetivo de apresentar e instruir sobre ferramentas disponíveis de modo online e gratuito, que auxiliam e facilitam na busca, gerenciamento e construção de referências.

19h00 Bioconversão microbiana de penas de frango: da obtenção às aplicações Minicurso
Local: Google Meet

A indústria avícola vem crescendo continuamente no Brasil e no mundo, o que resulta no aumento da produção e geração de resíduos provenientes do abate e processamento de frangos para a obtenção de carne. Dentre os principais resíduos sólidos oriundos destas atividades estão as penas, constituídas basicamente por proteínas fibrosas e recalcitrantes, que devem ser corretamente manejadas para evitar a poluição ambiental. Na atualidade, os destinos finais das penas de frangos são aterros sanitários, incineração ou a aplicação em rações animais após tratamento hidrotérmico. No entanto, as elevadas demandas de área no caso de aterros, e de aportes energéticos no caso da incineração e processos hidrotérmicos, indicam a necessidade de alternativas tecnológicas para o manejo das penas de frango. A bioconversão microbiana das penas surge como estratégia explorada a fim de aumentar o valor dos produtos finais no contexto da necessidade de encontrar uma destinação apropriada e viável para estes resíduos. Microrganismos queratinolíticos são investigados para a hidrólise de penas visando a obtenção de enzimas proteolíticas com aplicação biotecnológica e, mais recentemente, hidrolisados proteicos. Os hidrolisados proteicos vêm sendo postulados como ingredientes para rações animais, fertilizantes nitrogenados, substratos para a produção de biocombustíveis, e mesmo sua aplicação na nutrição e saúde humanas pela observação de que estes hidrolisados podem apresentar atividades antioxidantes, anti-hipertensivas e antidiabéticas.

19h00 Equipamentos e Tecnologias de baixo custo para o ensino da Biologia. Minicurso
Local: Google Meet

O minicurso propõe situar a deposição inadequada de materiais descartados como um problema de gerenciamento de resíduos sólidos, a ser resolvido com atividades alternativas, como a utilização na construção de equipamentos de baixo custo. Também, destina-se a desenvolver competências no ensino da Biologia com a aprendizagem na construção e entendimento do funcionamento dos equipamentos e tecnologias de baixo custo. Além disso, relaciona a utilização dos equipamentos de baixo custo com o desenvolvimento dos conteúdos programáticos dos componentes curriculares da área de Biologia e faz uma comparação dos preços dos materiais e equipamentos com aqueles industrializados.

19h00 Papel da Palinologia nos estudos de interação planta-polinizador: retrospecto e desafios Minicurso
Local: Google Meet

A Palinologia é a ciência que estuda caracteres morfológicos externos de grãos de pólen e esporos, bem como de outras estruturas com parede orgânica ácido-resistente. Esta ciência pode ser utilizada vários campos pelo fato de os grãos de pólen mostrarem-se muito resistentes à degradação, pequeno tamanho que facilita o transporte e deposição em sedimentos, morfologia complexa proporcionando sua caracterização e produção em grande quantidade que favorece levantamentos estatísticos confiáveis. Portanto, também pode ser empregada em estudos de interação planta-polinizador, uma vez que através da morfologia dos grãos de pólen aderidos ao corpo do polinizador é possível inferir quais espécies vegetais foram visitadas para coleta de recursos tróficos. Dessa forma, o presente minicurso aborda o uso dos grãos de pólen como ferramenta de análise nos estudos de interação planta-polinizador, trazendo as metodologias clássicas e ainda métodos complementares que podem contribuir nestes estudos, bem como auxiliar nos desafios já existentes e que poderão surgir.

19h00 Colapso dos Arthropoda: conhecer para preservar Vidas! Minicurso
Local: Google Meet

Nos últimos anos tem sido observado uma acelerada perda de hábitats, principalmente em função de ações antrópicas, ocasionando extinção de várias espécies. Os Arthropoda são o grupo dominante da fauna atual e seus serviços ecossistêmicos são fundamentais para o equilíbrio ecológico e manutenção das teias tróficas. A redução das comunidades de artrópodes é um forte alerta da necessidade de novas estratégias que possam assegurar o correto manejo e conservação destes organismos. A difusão do conhecimento e importância deste grupo, aliado a pesquisas científicas que gerem dados de diversidade e sua drástica redução recente, são fundamentais para que possamos reduzir os impactos e desacelerar as taxas de extinções da fauna de Arthropoda.

19h00 Veneno em formigas: uma secreção multifuncional. Minicurso
Local: Google Meet

O veneno das formigas é uma mistura complexa usualmente conhecido pelo efeito negativo que eles causam após contato acidental com humanos. Contrariando a visão negativa, o veneno animal de forma geral tem sido visto por muitos pesquisadores como uma fonte rica de compostos bioativos, com uma ampla gama de propriedades farmacológicas a serem exploradas. No presente minicurso será abordado a importância ecológica do veneno, bem como os principais estudos realizados atualmente com foco na utilização dessas secreções para bioprospecção.

19h00 Bioprospecção e monitoramento de microrganismos em ambientes contaminados. Minicurso
Local: Google Meet

Os microrganismos são essenciais para os processos biogeoquímicos dos ecossistemas. Em ambientes contaminados, os efeitos sobre a fisiologia da microbiota podem refletir nos processos de decomposição da matéria orgânica e ciclagem de nutrientes, além de alterar a solubilização e produção de compostos essenciais. Diante disso, é essencial que o biólogo esteja apto para monitorar as populações microbianas, associando os efeitos na fisiologia desses organismos aos impactos no ambiente, além de prospectar bioindicadores de qualidade ambiental.

19h00 Introdução a biometria de DNA na Biologia da conservação Minicurso
Local: Google Meet

Serão abordadas questões teórico/práticas sobre os principais conceitos dos diferentes tipos de marcadores moleculares, análise e interpretação de dados de DNA e suas aplicações na conservação genética. Conteúdo: - Introdução aos marcadores moleculares - Biometria de DNA (software, análise e interpretação de dados) - Estudo de casos aplicados a conservação

19h00 Análise da paisagem com SIG Minicurso
Local: Google Meet

Por meio de estudos de caso, abordaremos os conceitos básicos, o por que e como quantificar paisagens a partir de métricas, com análise descritiva a nível de manchas e no nível de paisagem; a importância do SIG como ferramenta para a análise estrutural da paisagem; teorias subjacentes; monitoramento e análise de mudanças.

19h00 A importância dos jogos didáticos no ensino de ciências Minicurso
Local: Google Meet

O ensino por transmissão de conteúdo, em que o professor é o detentor do conhecimento e o aluno, por sua vez, receptor da informação, como aponta a teoria behaviorista (VASCOCELOS; PRAIA; ALMEIDA; 2003), está ultrapassado, no entanto, esta ação ainda é utilizada por muitos professores em sala de aula. Isso acontece, geralmente pela má formação docente e, como aponta Vasconcelos, Praia e Almeida (2003) pela falta de conhecimento de “um suporte teórico explicativo do processo de ensino-aprendizagem”. Nessa direção, a falta de acesso a esse suporte teórico pode dificultar a compreensão do processo de aprendizagem do aluno, tornando-o reprodutor de informação, sem apresentar criticidade dos fatos. Por isso, faz-se necessário os professores conhecerem as teorias da aprendizagem e os documentos normativos para variar as estratégias de ensino, visando contribuir significativamente na construção do conhecimento do sujeito. A Base Nacional Comum Curricular (BNCC), por exemplo, define e orienta os professores acerca das aprendizagens essenciais as quais os alunos podem desenvolver na educação básica, mencionando como estratégias de ensino a contextualização do conteúdo e as abordagens interdisciplinares. Além disso, o protagonismo do aluno é uma das orientações citadas neste documento normativo, onde o professor insere o aluno ao meio educacional e media esse processo de construção do conhecimento. Nessa direção, a utilização de materiais didáticos lúdicos para o ensino de ciências possibilita trabalhar os conteúdos de forma mais atrativa e dinâmica, despertando o interesse do aluno pelos conteúdos, melhorando a sua participação na discussão das atividades e cooperação em grupo, proporcionando, assim, uma aprendizagem significativa (ANDRADE et al., 2015). Nesse sentido, os jogos didáticos é uma das estratégias que o docente pode adotar à sua prática. E, segundo Gomes et al (2001), quando este recurso é utilizado em sala de aula visando alcançar objetivos pedagógicos, pode melhorar o desempenho dos alunos sobre os conteúdos, uma vez que a proposta tem um significado e promove uma aprendizagem de maneira divertida. Mediante ao exposto, o presente minicurso objetiva apresentar o potencial dos jogos didáticos no ensino de ciências, proporcionando aos futuros docentes as variadas estratégias e possibilidades de condução do componente curricular ciências e biologia, compreendendo a BNCC e as teorias de aprendizagem.

19h00 Sistema de jardins flutuantes para fitorremediação de águas poluídas. Minicurso
Local: Google Meet

Abordar a teoria básica sobre sistemas de jardins flutuantes ou (Floating Treatment Wetlands), tanto para a recuperação de corpo hídricos, como otimização do tratamento convencional de efluentes domésticos. Propor um exercício prático de aplicação desses sistemas, quanto a eficiência do sistema, reutilização de materiais para suporte e substrato e potencialidade de uso de plantas locais.

19h00 Fanzine e divulgação científica: O que é, como fazer ? Minicurso
Local: Google Meet

Fanzines (zines) são autopublicações artesanais e independentes em que a/o autor/a cria sua própria revista com os assuntos de sua preferência e é responsável por todo processo editorial, de elaboração de conteúdo, impressão, etc. até chegar ao público! Os Zines tem sido amplamente utilizados no ensino de ciências e saúde, como estratégias de ensino-aprendizagem e para divulgação científica! Nesta oficina vamos ver um breve panorama dos fanzines na Ciências e saúde e partilhar as etapas básicas sobre como criar seu zine ou microzine! Esta oficina é aberta à todos/as: estudantes, educadores/as, público em geral, inclusive para quem quiser utilizar essa metodologia em suas práticas educativas! Separe seu papel, caneta, ideias, poesias, textos, desenhos, recortes de revistas e tudo mais que possa ser usado na elaboração do seu zine experimental! A proposta da oficina será criar um MICROZINE!

19h00 Levantamento Bibliográfico e Gerenciamento de Referências em Plataformas Online Minicurso
Local: Google Meet

A partir de uma busca acerca da literatura publicada que existe a possibilidade de fundamentação e de consistência em um estudo. Os levantamentos bibliográficos têm a função de nortear uma pesquisa, embasando a metodologia aplicada, bem como, ao trabalho de um modo geral. Tal revisão de trabalhos publicados é fundamental, já que demonstra segurança, cuidado e conhecimento que o pesquisar tem sobre um determinado tema. Entretanto, nem sempre é uma tarefa simples encontrar artigos e/ou periódicos de modo gratuito e legal, o que dificulta e limita o acesso sobre um determinado assunto. Outro ponto importante, é a aplicação adequada de citações e referências em um texto, já que tais informações são essenciais para a escrita de um bom texto. Diante disso, o minicurso proposto tem o objetivo de apresentar e instruir sobre ferramentas disponíveis de modo online e gratuito, que auxiliam e facilitam na busca, gerenciamento e construção de referências.

19h00 Bioconversão microbiana de penas de frango: da obtenção às aplicações Minicurso
Local: Google Meet

A indústria avícola vem crescendo continuamente no Brasil e no mundo, o que resulta no aumento da produção e geração de resíduos provenientes do abate e processamento de frangos para a obtenção de carne. Dentre os principais resíduos sólidos oriundos destas atividades estão as penas, constituídas basicamente por proteínas fibrosas e recalcitrantes, que devem ser corretamente manejadas para evitar a poluição ambiental. Na atualidade, os destinos finais das penas de frangos são aterros sanitários, incineração ou a aplicação em rações animais após tratamento hidrotérmico. No entanto, as elevadas demandas de área no caso de aterros, e de aportes energéticos no caso da incineração e processos hidrotérmicos, indicam a necessidade de alternativas tecnológicas para o manejo das penas de frango. A bioconversão microbiana das penas surge como estratégia explorada a fim de aumentar o valor dos produtos finais no contexto da necessidade de encontrar uma destinação apropriada e viável para estes resíduos. Microrganismos queratinolíticos são investigados para a hidrólise de penas visando a obtenção de enzimas proteolíticas com aplicação biotecnológica e, mais recentemente, hidrolisados proteicos. Os hidrolisados proteicos vêm sendo postulados como ingredientes para rações animais, fertilizantes nitrogenados, substratos para a produção de biocombustíveis, e mesmo sua aplicação na nutrição e saúde humanas pela observação de que estes hidrolisados podem apresentar atividades antioxidantes, anti-hipertensivas e antidiabéticas.

19h00 Equipamentos e Tecnologias de baixo custo para o ensino da Biologia. Minicurso
Local: Google Meet

O minicurso propõe situar a deposição inadequada de materiais descartados como um problema de gerenciamento de resíduos sólidos, a ser resolvido com atividades alternativas, como a utilização na construção de equipamentos de baixo custo. Também, destina-se a desenvolver competências no ensino da Biologia com a aprendizagem na construção e entendimento do funcionamento dos equipamentos e tecnologias de baixo custo. Além disso, relaciona a utilização dos equipamentos de baixo custo com o desenvolvimento dos conteúdos programáticos dos componentes curriculares da área de Biologia e faz uma comparação dos preços dos materiais e equipamentos com aqueles industrializados.

19h00 Papel da Palinologia nos estudos de interação planta-polinizador: retrospecto e desafios Minicurso
Local: Google Meet

A Palinologia é a ciência que estuda caracteres morfológicos externos de grãos de pólen e esporos, bem como de outras estruturas com parede orgânica ácido-resistente. Esta ciência pode ser utilizada vários campos pelo fato de os grãos de pólen mostrarem-se muito resistentes à degradação, pequeno tamanho que facilita o transporte e deposição em sedimentos, morfologia complexa proporcionando sua caracterização e produção em grande quantidade que favorece levantamentos estatísticos confiáveis. Portanto, também pode ser empregada em estudos de interação planta-polinizador, uma vez que através da morfologia dos grãos de pólen aderidos ao corpo do polinizador é possível inferir quais espécies vegetais foram visitadas para coleta de recursos tróficos. Dessa forma, o presente minicurso aborda o uso dos grãos de pólen como ferramenta de análise nos estudos de interação planta-polinizador, trazendo as metodologias clássicas e ainda métodos complementares que podem contribuir nestes estudos, bem como auxiliar nos desafios já existentes e que poderão surgir.

19h00 Colapso dos Arthropoda: conhecer para preservar Vidas! Minicurso
Local: Google Meet

Nos últimos anos tem sido observado uma acelerada perda de hábitats, principalmente em função de ações antrópicas, ocasionando extinção de várias espécies. Os Arthropoda são o grupo dominante da fauna atual e seus serviços ecossistêmicos são fundamentais para o equilíbrio ecológico e manutenção das teias tróficas. A redução das comunidades de artrópodes é um forte alerta da necessidade de novas estratégias que possam assegurar o correto manejo e conservação destes organismos. A difusão do conhecimento e importância deste grupo, aliado a pesquisas científicas que gerem dados de diversidade e sua drástica redução recente, são fundamentais para que possamos reduzir os impactos e desacelerar as taxas de extinções da fauna de Arthropoda.

19h00 Veneno em formigas: uma secreção multifuncional. Minicurso
Local: Google Meet

O veneno das formigas é uma mistura complexa usualmente conhecido pelo efeito negativo que eles causam após contato acidental com humanos. Contrariando a visão negativa, o veneno animal de forma geral tem sido visto por muitos pesquisadores como uma fonte rica de compostos bioativos, com uma ampla gama de propriedades farmacológicas a serem exploradas. No presente minicurso será abordado a importância ecológica do veneno, bem como os principais estudos realizados atualmente com foco na utilização dessas secreções para bioprospecção.

19h00 Bioprospecção e monitoramento de microrganismos em ambientes contaminados. Minicurso
Local: Google Meet

Os microrganismos são essenciais para os processos biogeoquímicos dos ecossistemas. Em ambientes contaminados, os efeitos sobre a fisiologia da microbiota podem refletir nos processos de decomposição da matéria orgânica e ciclagem de nutrientes, além de alterar a solubilização e produção de compostos essenciais. Diante disso, é essencial que o biólogo esteja apto para monitorar as populações microbianas, associando os efeitos na fisiologia desses organismos aos impactos no ambiente, além de prospectar bioindicadores de qualidade ambiental.

19h00 Introdução a biometria de DNA na Biologia da conservação Minicurso
Local: Google Meet

Serão abordadas questões teórico/práticas sobre os principais conceitos dos diferentes tipos de marcadores moleculares, análise e interpretação de dados de DNA e suas aplicações na conservação genética. Conteúdo: - Introdução aos marcadores moleculares - Biometria de DNA (software, análise e interpretação de dados) - Estudo de casos aplicados a conservação

19h00 Análise da paisagem com SIG Minicurso
Local: Google Meet

Por meio de estudos de caso, abordaremos os conceitos básicos, o por que e como quantificar paisagens a partir de métricas, com análise descritiva a nível de manchas e no nível de paisagem; a importância do SIG como ferramenta para a análise estrutural da paisagem; teorias subjacentes; monitoramento e análise de mudanças.

19h00 A importância dos jogos didáticos no ensino de ciências Minicurso
Local: Google Meet

O ensino por transmissão de conteúdo, em que o professor é o detentor do conhecimento e o aluno, por sua vez, receptor da informação, como aponta a teoria behaviorista (VASCOCELOS; PRAIA; ALMEIDA; 2003), está ultrapassado, no entanto, esta ação ainda é utilizada por muitos professores em sala de aula. Isso acontece, geralmente pela má formação docente e, como aponta Vasconcelos, Praia e Almeida (2003) pela falta de conhecimento de “um suporte teórico explicativo do processo de ensino-aprendizagem”. Nessa direção, a falta de acesso a esse suporte teórico pode dificultar a compreensão do processo de aprendizagem do aluno, tornando-o reprodutor de informação, sem apresentar criticidade dos fatos. Por isso, faz-se necessário os professores conhecerem as teorias da aprendizagem e os documentos normativos para variar as estratégias de ensino, visando contribuir significativamente na construção do conhecimento do sujeito. A Base Nacional Comum Curricular (BNCC), por exemplo, define e orienta os professores acerca das aprendizagens essenciais as quais os alunos podem desenvolver na educação básica, mencionando como estratégias de ensino a contextualização do conteúdo e as abordagens interdisciplinares. Além disso, o protagonismo do aluno é uma das orientações citadas neste documento normativo, onde o professor insere o aluno ao meio educacional e media esse processo de construção do conhecimento. Nessa direção, a utilização de materiais didáticos lúdicos para o ensino de ciências possibilita trabalhar os conteúdos de forma mais atrativa e dinâmica, despertando o interesse do aluno pelos conteúdos, melhorando a sua participação na discussão das atividades e cooperação em grupo, proporcionando, assim, uma aprendizagem significativa (ANDRADE et al., 2015). Nesse sentido, os jogos didáticos é uma das estratégias que o docente pode adotar à sua prática. E, segundo Gomes et al (2001), quando este recurso é utilizado em sala de aula visando alcançar objetivos pedagógicos, pode melhorar o desempenho dos alunos sobre os conteúdos, uma vez que a proposta tem um significado e promove uma aprendizagem de maneira divertida. Mediante ao exposto, o presente minicurso objetiva apresentar o potencial dos jogos didáticos no ensino de ciências, proporcionando aos futuros docentes as variadas estratégias e possibilidades de condução do componente curricular ciências e biologia, compreendendo a BNCC e as teorias de aprendizagem.

19h00 Sistema de jardins flutuantes para fitorremediação de águas poluídas. Minicurso
Local: Google Meet

Abordar a teoria básica sobre sistemas de jardins flutuantes ou (Floating Treatment Wetlands), tanto para a recuperação de corpo hídricos, como otimização do tratamento convencional de efluentes domésticos. Propor um exercício prático de aplicação desses sistemas, quanto a eficiência do sistema, reutilização de materiais para suporte e substrato e potencialidade de uso de plantas locais.

Organizador

SEMCBIO

O Diretório Acadêmico de Biologia e a Empresa Verde Jr do Campus II da UNEB, Alagoinhas, realizará a V Semana de Ciências Biológicas nos dias 23 a 27 de novembro de 2020. O Evento que nesta edição abordará Biologia, a Ciência das redes de interações para construção do conhecimento e da vida!*

A programação envolverá palestras, minicursos, apresentação de trabalhos orais, pôster e outras atividades voltadas não só aos alunos de biologia, como aos de outras áreas, que se relacionam direta ou indiretamente com a temática.  

TRABALHOS CIENTÍFICOS APROVADOS