SEMANA DO MEIO AMBIENTE 2020

SEMANA DO MEIO AMBIENTE 2020

O meio ambiente e o enfrentamento ao COVID-19: desafios e estratégias.

Faça sua inscrição
De 3 a 5 de junho Todos os dias das 09h00 às 12h00
Evento online Clique aqui

Sobre o Evento

Os alimentos que comemos, o ar que respiramos, a água que bebemos e o clima que torna nosso planeta habitável vêm da natureza. Somos mais dependentes do que imaginamos de sua rede interconectada e do seu delicado equilíbrio.

Contudo, esse é um momento singular em que a natureza está nos mandando uma mensagem. Ela está nos mostrando que a vida como a conhecemos está à beira de um colapso. É hora de acordar. De tomar consciência. De repensar nossa relação com o meio ambiente. É hora de soltar a voz e dizer ao mundo que precisamos agir. Esse Dia Mundial do Meio Ambiente é a Hora da Natureza.

O COVID-19 chegou em um momento em que os impactos das mudanças climáticas já comprometiam a segurança de água e alimentos. O sudeste asiático, que fornece 50% das exportações mundiais de arroz, está passando pela pior seca em 40 anos.

"As adversidades no comércio de arroz desencadeadas pelo COVID-19 são uma prévia do que as mudanças climáticas têm nos reservado", disse o diretor executivo da Plataforma Sustentável de Arroz (Sustainable Rice Platform, em inglês), Wyn Ellis. “Em vez de uma ameaça temporária para os agricultores e as cadeias alimentares, os impactos das mudanças climáticas serão duradouros, provavelmente passando por gerações. Essa pandemia mostra como as consequências da falta de ação podem ser devastadoras e como as mudanças climáticas podem intensificar as crises existentes".

#HoraDaNatureza

Você sabia que cerca de 60% das doenças infecciosas humanas e 75% das doenças infecciosas emergentes são zoonóticas, ou seja, transmitidas através de animais?

Alguns exemplos que surgiram recentemente são o Ebola, a gripe aviária, a Síndrome Respiratória do Oriente Médio (MERS), o Vírus Nipah, a Febre do Vale Rift, a Síndrome Respiratória Aguda Grave (SARS), a Febre do Nilo Ocidental, o Zikavírus e, agora, o coronavírus – todos ligados à atividade humana.

O surto de Ebola na África Ocidental é resultado de perdas florestais que levaram a vida selvagem a se aproximar dos assentamentos humanos; a gripe aviária está relacionada à criação intensiva de aves e o Vírus Nipah surgiu devido à intensificação da suinocultura e à produção de frutas na Malásia.

Cientistas e especialistas do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA) estão reunindo os dados científicos mais recentes sobre o COVID-19 – tanto o que se sabe quanto o que não se sabe.

Embora a origem do surto e seu caminho de disseminação ainda não estejam claros, listamos seis pontos importantes que vale a pena conhecer:

  1. A interação de seres humanos ou rebanhos com animais selvagens pode expor-nos à disseminação de possíveis patógenos. Para muitas zoonoses, os rebanhos servem de ponte epidemiológica entre a vida selvagem e as doenças humanas.

  2. Os fatores determinantes do surgimento de zoonoses são as transformações do meio ambiente – geralmente resultado das atividades humanas, que vão desde a alteração no uso da terra até a mudança climática; das mudanças nos hospedeiros animais e humanos aos patógenos em constante evolução para explorar novos hospedeiros.

  3. As doenças associadas aos morcegos surgiram devido à perda de habitat por conta do desmatamento e da expansão agrícola. Esses mamíferos desempenham papéis importantes nos ecossistemas, sendo polinizadores noturnos e predadores de insetos.

  4. A integridade do ecossistema evidencia a saúde e o desenvolvimento humano. As mudanças ambientais induzidas pelo homem modificam a estrutura populacional da vida selvagem e reduzem a biodiversidade, resultando em condições ambientais que favorecem determinados hospedeiros, vetores e/ou patógenos.

  5. A integridade do ecossistema também ajuda a controlar as doenças, apoiando a diversidade biológica e dificultando a disseminação, a ampliação e a dominação dos patógenos.

  6. É impossível prever de onde ou quando virá o próximo surto. Temos cada vez mais evidências sugerindo que esses surtos ou epidemias podem se tornar mais frequentes à medida que o clima continua a mudar.

Zoonoses diseases

"Nunca tivemos tantas oportunidades para as doenças passarem de animais selvagens e domésticos para pessoas", disse a diretora executiva do PNUMA, Inger Andersen. "A perda contínua dos espaços naturais nos aproximou demasiadamente de animais e plantas que abrigam doenças que podem ser transmitidas para os seres humanos".

A equipe do PNUMA está trabalhando continuamente nessas questões importantes. As informações compartilhadas pela Divisão de Ciência estão disponíveis online com informações adicionais, incluindo uma lista de perguntas ainda não respondidas.

Zoonoses COVID-19 infographic

A natureza está em crise, ameaçada pela perda de biodiversidade e de habitat, pelo aquecimento global e pela poluição tóxica. Falhar em agir é falhar com a humanidade. Enfrentar a nova pandemia de coronavírus (COVID-19) e nos proteger das futuras ameaças globais requer o gerenciamento correto de resíduos médicos e químicos perigosos, a administração consistente e global da natureza e da biodiversidade e o comprometimento com a reconstrução da sociedade, criando empregos verdes e facilitando a transição para uma economia neutra em carbono. A humanidade depende de ação agora para um futuro resiliente e sustentável.

Fonte: ONU, 2020.

#HoraDaNatureza

A Semana do Meio Ambiente 2020 no município de Itacoatiara-AM terá como tema a ser discutido: "O Meio Ambiente e o enfrentamento ao COVID-19: desafios e estratégias". Você é o nosso convidado especial.

Faça já sua inscrição!

Palestrantes

  • DAYSE CAMPISTA FERREIRA
  • JOHNATAN ALMEIDA DE SOUSA
  • RAINIER PEDRAÇA DE AZEVEDO
  • RONDON TATSUTA YAMANE BAPTISTA DE SOUZA
  • WILLAME DE MIRANDA NOGUEIRA

Programação

10h00 - RAINIER PEDRAÇA DE AZEVEDO Abastecimento de Água na pandemia de Covid-19. Palestra
Abastecimento de Água na pandemia de Covid-19.
Local: Link de transmissão
09h00 - DAYSE CAMPISTA FERREIRA Meio Ambiente pós pandemia. Será que iremos ser seres humanos melhores? Palestra
Meio Ambiente pós pandemia. Será que iremos ser seres humanos melhores?
Local: Link de transmissão
10h00 - RONDON TATSUTA YAMANE BAPTISTA DE SOUZA Projeto - Da roça para casa: Uma solução para o enfrentamento a Covid-19 na agricultura familiar. Palestra
Projeto - Da roça para casa:  Uma solução para o  enfrentamento a Covid-19 na agricultura familiar.
Local: Link de transmissão

É mais que um site, é formação, assistência e geração de renda.

09h00 - WILLAME DE MIRANDA NOGUEIRA Quadros Ecológicos Sustentáveis em 3D Apresentação
Quadros Ecológicos Sustentáveis em 3D
Local: Link de transmissão

Descubra neste projeto como é prático, sustentável, econômico e inteligente transformar os resíduos da floresta em arte. Os Quadros Ecológicos 3D são feitos com talo de buriti, canoa de açaí, pó de serragem, casa de cupim pilada, argila, area, musgo, galhos secos e muita criatividade. Esse é um projeto incomum que visa oportunidades de despertar novos artistas locais.
Siga nossa rede social.

Instagram: @amazowecologic3d

Youtube: http://bit.ly/barbudoartesao

10h00 - JOHNATAN ALMEIDA DE SOUSA Saúde e Meio Ambiente: perspectivas para o enfrentamento de uma pandemia. Palestra
Saúde e Meio Ambiente: perspectivas para o enfrentamento de uma pandemia.
Local: Link de transmissão

Ações e estratégias utilizadas no DSEI-Alto Rio Negro no enfrentamento ao COVID-19, apresentando as dificuldades do trabalho profissional em áreas remotas. Implementação de Gerencimento de Resíduos Sólidos, sanitização e Kit's de higienização em áreas indígenas.

Edições Anteriores

Quero me tornar um paceiro e colaborar com a realização do evento.

Organizador

JANIEL MACEDO BRITO

Engenheiro Sanitarista, formado pela Universidade Federal do Amazonas no Instituto de Ciências Exatas e Tecnologia. Possui mais de 7 (sete) anos de experiência na Administração de Empresas, nos Serviços nas áreas de FINANÇAS, RECURSOS HUMANOS, CONTABILIDADE, FATURAMENTOS, na qual operava com gerenciamento de compras produtivas, atuação como negociador principal de contratos e parcerias com fornecedores, realizando negociações e visitas técnicas.

Possui vivência na elaboração de projetos de Saneamento em geral, Aterro Sanitário Municipal, Educação Ambiental, Planos de Contingência e Emergência e Captação de Recursos Federais, além de conhecimento das leis ambientais municipais, estaduais e federais.

Em seu histórico, já submeteu projetos com Chamada Pública do Ministério de Saúde pela FUNASA - Projeto de Educação Ambiental e Saúde, para os municípios de Itacoatiara, Novo Airão e Uarini, e também para o Ministério do Esporte obtendo a aprovação em todos já realizados. E também a aprovação de 1 (uma) carta consulta pelo o Ministério das Cidades - Programa Avançar Cidades Saneamento.

Atualmente está como Secretário Municipal de Meio Ambiente no município de Itacoatiara/AM.