VII Seminário Internacional de Habilidades Sociais - São Luís 2019

VII Seminário Internacional de Habilidades Sociais - São Luís 2019

Habilidades Sociais em diversos contextos de atuação profissional

Faça sua inscrição
De 5 a 7 de novembro Todos os dias das 09h00 às 19h00
São Luís, MA Universidade Federal do Maranhão

Sobre o Evento

A Comissão Organizadora agradece muito a cada um que participou do VII SIHS. Nós organizamos, mas vocês fizeram o evento. Vocês sustentaram o SIHS quando não tivemos tanto apoio. Acreditaram que a ciência, a pesquisa, o ensino é que nos move como humanidade, não é o senso comum ou o argumento de autoridade.

Até o VIII SIHS!

Nos vemos em Taubaté.

ANAIS DO EVENTO

CLIQUE AQUI PARA BAIXAR

EVENTO ENCERRADO

INFORMAÇÕES IMPORTANTES

CADERNO DE PROGRAMAÇÃO E RESUMOS: CLIQUE AQUI

ONDE IR, COMER E BEBEREM SÃO LUÍS: CLIQUE AQUI

COMO SE INSCREVER EM MINICURSOS: CLIQUE AQUI

COMO SE INSCREVER EM OFICINAS (VAGAS ESGOTADAS): CLIQUE AQUI

DICAS PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS: clique aqui

MODELO SUGERIDO PARA PÔSTER: clique aqui

VII SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE HABILIDADES SOCIAIS

Habilidades Sociais em diversos contextos de atuação profissional

SÃO LUÍS/MA

5 A 7 DE NOVEMBRO 2019

Bem-vindos !

Como nas demais edições, o VII SIHS visa divulgar os produtos acadêmicos sobre a temática, produzidos pelos membros do GT-ANPEPP e de outros pesquisadores do Brasil e do exterior nessa área, viabilizando o intercâmbio entre profissionais e estudantes de Psicologia e áreas afins, de diferentes instituições de todo o Brasil.

A pesquisa e a prática no campo das habilidades sociais vêm consolidando as interfaces dessa temática com diferentes setores de atuação do psicólogo e profissionais de áreas afins, especialmente clínica, saúde, organizacional, comunitária e educacional. Diferentes perspectivas teóricas e metodológicas serão abordadas, de modo a favorecer o intercâmbio de estudos e práticas na promoção da qualidade das relações interpessoais e no desenvolvimento e saúde de indivíduos, famílias, grupos e comunidades.

E o evento, pela primeira vez, chega ao Nordeste.

São Luís, capital do Maranhão, será o ponto de encontro daqueles interessados em saber mais sobre o campo teórico-prático das Habilidades Sociais.

Anote na agenda: 5, 6 e 7 de novembro de 2019, na Universidade Federal do Maranhão.

Nos vemos em breve !

Comissão Organizadora

INFORMAÇÕES SOBRE HOSPEDAGEM

São Luís conta com uma boa rede hoteleira, há diversasopções para quem visita a cidade. Para o SIHS, há descontos para os participantes noCALHAU HOTELHOTEL PREMIERe TANAN HOSTEL

*Para efetuar a reserva, basta o solicitante enviar por e-mail a solicitação, identificando que está inscrito no VII Seminário Internacional de Habilidades Sociais.O contato pode ser feito via telefone ou email.

Hotel Premier- solicitar setor de reservas (98)3216-6666. E-mail:reservas@hotelpremier.com.br

Hotel Calhau- solicitar setor de reservas (98) 3311-1133. E-mail:reservas@calhaupraiahotel.com.br

Em caso de dúvidas ou solicitações especiais o contato pode ser feito pelos e-mails comerciais:

comercial@calhaupraiahotel.com.br

comercial@hotelpremier.com.br

Tanan Hostel (98) 2109-6410 Email: contato@tananhostel.com.br

INFORMAÇÕES SOBRE TURISMO

Pacotes com opções depasseios:clique aqui.

Para agendar e para mais informações, entre em contato com

Águia Viagens e Turismo:(98) 32275833 / (98) 98725-1876

Informações básicas sobre São Luís e Alcântara, Raposa, Lençóis Maranhenses e gastronomia maranhense.

Você sabe o que acontece em um SIHS?

Para saber, clique aqui e baixe os anais do VI SIHS, realizadoem Ribeirão Preto/SP, em 2017


Palestrantes

  • Almir Del Prette
  • Zilda Del Prette
  • Betina Lacunza
  • Valeria Morán
  • Catarina Malcher
  • Lucas Sá
  • Alessandra Bolsoni Silva
  • Adriana Benevides
  • Andréa Rosin-Pinola
  • Camila Comodo
  • Vanessa Leme
  • Dagma Abramides
  • Elizabeth Joan Barham
  • Daniele Lopes
  • Fabiana Versuti
  • Janaína Bianca Barletta
  • Josiane Rosa Campos
  • Márcia Wagner
  • Shirley Simeão
  • Talita Dias
  • Patrícia Lorena Quiterio
  • (Doutoranda) Joene Vieira-Santos
  • (Doutorando) Bruno Cardoso
  • (Doutoranda) Tatiane Lessa
  • (Doutoranda) Juliana Santos
  • (Mestranda) Naara Alho
  • (Mestranda) Patricia Moraes
  • (Mestranda) Franciele Del Ponti

Programação

15h00 HABILIDADES SOCIAIS NA ESCOLA MEDIADAS PELO PROFESSOR: EXPLORANDO RECURSOS DA EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA Minicurso
Local: UFMA

HABILIDADES SOCIAIS NA ESCOLA MEDIADAS PELO PROFESSOR: EXPLORANDO RECURSOS DA EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA

Almir Del Prette, Zilda A, P. Del Prette, Talita Pereira Dias e Camila Negreiros Comodo

Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) e Instituto de Terapia por Contingências de Reforçamento (ITCR)

A oferta deste curso no SIHS visa a formação inicial de possíveis parceiros para replicar a proposta EaD com objetivos de pesquisa e prática. O Treinamento de Habilidades Sociais tem se mostrado efetivo, o que justifica sua disseminação em maior escala.  Neste Curso será apresentado o programa virtual online, Habilidades Sociais Na Escola Mediadas Pelo Professor, para professores do Ensino Fundamental (1º-5º ano) promoverem o desenvolvimento socioemocional em articulação com a aprendizagem dos alunos. Embasado na centralidade do conceito de Competência Social aplicado à Educação, na noção de ensino-aprendizagem-desenvolvimento e nas diretrizes de formação continuada de professores, o programa é ofertado em ambiente EAD/Moodle, com 16 unidades semanais organizadas em 3 módulos (120hs): (1) Introdução conceitual e promoção da competência social pessoal do professor; (2) Avaliação da competência social e acadêmica dos alunos e embasamento conceitual sobre desenvolvimento socioemocional e aprendizagem na infância; (3) Habilidades Sociais Educativas do Professor para mediar o processo de ensino-aprendizagem-desenvolvimento. O módulo 4, em construção, visará à autonomia do professor para planejar, promover e avaliar competência social na escola. As condições de ensino se baseiam em materiais produzidos especialmente para o programa: instrução/motivação por vídeos, estudos de textos hipermídia e videomodelação e tarefas semanais interpessoais, práticas e de análise/reflexão, corrigidas por tutores virtuais previamente treinados. As avaliações são contínuas e ao final de cada unidade e módulo, a maioria com instrumentos padronizados. O programa faz parte de projeto de pesquisa-intervenção com Grupo Experimental (turma 2019) e de Controle (avaliado em 2019 e cursando em 2020). Potencialidades e limites de disseminação do programa e sua replicação são discutidos (CNPq e INCT-ECCE).

PALAVRAS-CHAVE: Habilidades sociais, Formação de Professores, Desenvolvimento Socioemocional, Ensino Fundamental.

15h00 EVALUACIÓN DE LAS HABILIDADES SOCIALES EN ADOLESCENTES: ALCANCES Y LÍMITES Minicurso
Local: UFMA

EVALUACIÓN DE LAS HABILIDADES SOCIALES EN ADOLESCENTES: ALCANCES Y LÍMITES

Ana Betina Lacunza (Facultad de Psicología, Universidad Nacional de Tucumán, Argentina. Consejo Nacional de Investigaciones Científicas y Técnicas CONICET, Argentina)

La Organización Mundial de la Salud plantea que la población adolescente actual (10 a 19 años) alcanza a 1200 millones y se considera un grupo poblacional clave. Desde una perspectiva teórica, se analiza a este periodo del ciclo vital vinculándolo a un momento de conflictos psíquicos, crisis y reestructuración de la personalidad; mientras que otra línea de pensamiento, la considera como un proceso normal, enfocando al adolescente como alguien que está en vías de consolidar su identidad. Más allá de la posición psicopatológica o salugénica, la adolescencia es un periodo de cambios donde los adolescentes redefinen sus relaciones con las figuras parentales e incrementan la construcción de redes sociales con sus pares. Estas tareas suponen la presencia de habilidades sociales que posibiliten relaciones mutuamente satisfactorias. Es por ello que la identificación de recursos sociales resulta primordial en esta etapa del ciclo vital. Este curso aborda el análisis de los alcances y limitaciones que presenta la evaluación de habilidades sociales en adolescentes. Se ilustra el papel de los autoinformes a partir de estudios con adolescentes del Norte Argentino, identificándose la necesidad de evaluaciones multimétodo. Se espera que este curso brinde una visión crítica de los aportes de la evaluación psicológica para el diseño de intervenciones que potencien una adolescencia más saludable.

Palabras clave: habilidades sociales- adolescentes- evaluación- déficits sociales

15h00 ESTRATEGIAS PARA EL DISEÑO Y CONSTRUCCION DE ESCALAS DE AUTOINFORME PARA LA EVALUACION DE VARIABLES INTERPERSONALES EN NIÑOS Minicurso
Local: UFMA

ESTRATEGIAS PARA EL DISEÑO Y CONSTRUCCION DE ESCALAS DE AUTOINFORME PARA LA EVALUACION DE VARIABLES INTERPERSONALES EN NIÑOS

Valeria Moran (Instituto de Investigaciones Psicologicas IIPSi CONICET-UNC/ Centro de Investigación Neurocognitiva NODOS, Córdoba, Argentina)

El diseño de instrumentos de evaluación de variables interpersonales sociales es un campo de especial interés dentro de la Psicología de las habilidades sociales porque las medidas de este tipo son importantes no solo en el campo de la investigación sino también en la determinación de la eficacia de programas de intervención. Las escalas de autoinforme son una de las herramientas más utilizadas en este ámbito porque pueden ser utilizadas en muestras amplias, permiten cubrir un número grande de situaciones y comportamientos, y su administración es relativamente rápida y sencilla. Sin embargo, la construcción de estos instrumentos implica el conocimiento acabado de aspectos metodológicos específicos que atañen a la validez y fiabilidad de las medidas, fundamentalmente cuando evaluamos niños. En el diseño de escalas para evaluar población infantil el paso que reviste mayor importancia es la construcción de los estímulos que generan los procesos de respuesta. Por un lado, utilizar instrumentos con diseños atractivos y contenido audiovisual permite no solo ampliar la viabilidad de aplicación sino también su validez. Por otro lado, teniendo en cuenta la importancia del componente situacional en el comportamiento interpersonal, asegurar la representatividad del contenido de los ítems sobre la realidad de los niños resulta crucial en la utilidad de la escala. El objetivo de este curso es presentar los aspectos a tener en cuenta en la construcción de escalas de medición para niños y brindar estrategias para garantizar la validez de contenido y de proceso de respuesta.

Palavras-chave: escalas de medición, comportamiento interpersonal, niños

15h00 O ESPORTE COMO CONTEXTO PARA DESENVOLVIMENTO DE HABILIDADES SOCIOEMOCIONAIS Minicurso
Local: UFMA

O ESPORTE COMO CONTEXTO PARA DESENVOLVIMENTO DE HABILIDADES SOCIOEMOCIONAIS

Lívia Gomes Viana Meireles (UFC) e Evandro Morais Peixoto (USF)

A importância de se contar com um repertório de habilidades sociais e emocionais tem sido enfatizada por diferentes áreas do conhecimento. Dentre as principais descobertas destaca-se o fato destas habilidades serem tão importantes quanto as cognitivas para o alcance do sucesso nos diferentes domínios da vida: relacional, educacional e profissional. Diante destas constatações, pesquisadores tem se deparado com o desafio de organizar ambientes e atividades que favoreçam o desenvolvimento dessas características em crianças e adolescentes, seja no contexto escolar, vide a indicações da Base Nacional Comum Curricular BNCC, mas também fora dele. Esse minicurso tem como principal objetivo apresentar as potencialidades da participação em atividades esportivas para o desenvolvimento de habilidades sociais e emocionais e, portanto, para o Desenvolvimento Positivo de Jovens (DPJ). Baseado na Psicologia do Esporte e do Exercício apresenta-se uma revisão de modelos teóricos empregados na fundamentação de atividades esportivas que visam além do desenvolvimento de competências físicas e habilidades táticas e técnicas o desenvolvimento de habilidades sociais e emocional. Pretende-se também discutir o papel e as responsabilidades dos diferentes personagens do cenário esportivo: organizadores/gestores, técnicos, pais e praticantes frente ao desafio de desenvolvimento de habilidades sociais e emocionais, e de extrapolação destas para ambientes além do contexto esportivo. Os participantes do minicurso, ao final deste, devem ser capazes de identificar o contexto esportivo como propício para desenvolver habilidades interpessoais, tais como, comunicação, saber e ouvir críticas, conhecer seus limites e potencialidades, contribuindo para o autoconhecimento de crianças e jovens.

Palavras-chave: habilidades socioemocionais, criança, adolescente, desenvolvimento positivo, psicologia do esporte.

15h00 HABILIDADES SOCIAIS E PERSONALIDADE: ASSOCIAÇÕES NO CONTEXTO DA FORMAÇÃO EM SAÚDE Minicurso
Local: UFMA

HABILIDADES SOCIAIS E PERSONALIDADE: ASSOCIAÇÕES NO CONTEXTO DA FORMAÇÃO EM SAÚDE

Sonia Regina Loureiro, Karina Pereira Lima (Universidade de São Paulo, USP, Ribeirão Preto, SP)

O papel do repertório de habilidades sociais é amplamente reconhecido no contexto de exercício de profissões que exigem interação social, assim como a influência de características de personalidade, enquanto condições favorecedoras de bom desempenho. Objetiva-se no curso, apresentar o modelo de avaliação de personalidade denominado Inventário de Personalidade NEO Revisado (NEO- FFI -R), destacando suas características básicas quanto à fundamentação teórica e aplicabilidade, e exemplificar com dados empíricos relativos às características de personalidade e as habilidades sociais de médicos residentes, avaliadas por meio do Inventário de Habilidades Sociais (IHS-Del Prette). O NEO-FFI-R se insere entre os instrumentos criados com base no modelo dos Cinco Grandes Fatores, um dos modelos mais aceitos na avaliação da personalidade, que tem sua origem em análises fatoriais realizadas em diferentes culturas. Os cinco fatores básicos são: neuroticismo, extroversão, amabilidade, conscenciosidade e abertura a experiência. O estudo tomado como exemplo apresenta dados coletados com 120 médicos residentes, avaliados no início e ao final da residência, mostrando que tanto os indicadores de Personalidade com predomínio de Neuroticismo como os déficits de Habilidades Sociais de conversação e desenvoltura social não apresentaram diferenças significativas nos dois momentos do treinamento profissional o que sugere a necessidade programas voltados para o desenvolvimento dos recursos pessoais dos médicos, de forma a favorecer o enfrentamento das demandas do exercício profissional, tendo como foco características de personalidade e recursos de habilidades sociais.

Agência financiadora: CNPq/FAPESP

Palavras-chave: Habilidades sociais, Personalidade, Avaliação psicológica

15h00 HABILIDADES SOCIAIS EDUCATIVAS PARENTAIS: IMPLICAÇÕES PARA A PRÁTICA E A PESQUISA Minicurso
Local: UFMA

HABILIDADES SOCIAIS EDUCATIVAS PARENTAIS: IMPLICAÇÕES PARA A PRÁTICA E A PESQUISA

Alessandra Bolsoni-Silva (UNESP) e Fabiane Fogaça (UNITAU)

O tema das práticas educativas e problemas de comportamento infantis tem sido investigado há mais de 15 anos pelo grupo de pesquisa coordenado pela segunda autora do presente curso. Assim, diversas pesquisas de caracterização e de intervenção foram conduzidas para que se pudesse compreender essa problemática e, simultaneamente, elaborar e testar o procedimento de intervenção Promove-Pais, descritos em detalhes quanto a procedimentos e resultados em um formato de livro. O Promove-Pais foi testado com base em diversos delineamentos, desde estudos de caso até experimentos de sujeito único ou de grupo, incluindo pesquisas que demonstrassem dados de eficácia e efetividade dos resultados e variáveis críticas de processo psicoterápico.  Desse modo, o presente curso está organizado em três etapas: 1) Etapa conceitual: que abordará uma revisão conceitual sobre as múltiplas relações entre problemas de comportamento, habilidades sociais infantis, práticas educativas e habilidades sociais educativas parentais. Também serão incluídas discussões sobre práticas educativas, conjugalidade e saúde mental; b) Etapa – pesquisas de avaliação e intervenção: que abordará os resultados sobre desenvolvimento de instrumentos de avaliação (p. ex. o Questionário de Respostas Socialmente Habilidosas para Pais e Roteiro de Entrevista de Habilidades Sociais Educativas Parentais (RE-HSE-P), estratégias de intervenção e resultados esperados, bem como características das habilidades de terapeutas e facilitadores de intervenções; c) Etapa – Promove-pais: descrição detalhada do procedimento Promove-Pais, com exemplos de queixas e atuação terapêutica, de forma que possa ser replicado.

15h00 HABILIDADES E COMPETÊNCIAS SOCIAIS E EMOCIONAIS NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES Minicurso
Local: UFMA

HABILIDADES E COMPETÊNCIAS SOCIAIS E EMOCIONAIS NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES

Andréa Regina Rosin-Pinola (Instituto Ser Educativo e UNIVESP)

Recentemente publicada a BNCC (Base nacional Comum Curricular) apresenta um conjunto de 10 competências gerais que devem ser desenvolvidas de forma integrada aos componentes curriculares, ao longo de toda a educação básica. As competências evidenciam conhecimentos, habilidades, atitudes e valores essenciais para a vida no século 21. Estas contemplam a perspectiva de direitos éticos, estéticos e políticos assegurados pelas Diretrizes Curriculares Nacionais e já vinham sendo incorporadas nos documentos oficiais da educação brasileira por meio dos discursos que “explicitam o compromisso da educação brasileira com a formação humana integral e com a construção de uma sociedade justa, democrática e inclusiva”. ?Neste curso, a proposta é apresentar as bases teóricas e práticas da Educação e da Área das Habilidades Sociais para compreender as habilidades e competências sociais e emocionais tais como autoconhecimento, autocontrole, empatia, assertividade, entre outras que são fundamentais na reformulação dos currículos escolares e precisam ser desenvolvidas por meio de práticas educativas de professores e demais educadores.

Palavras-chave: BNCC, Habilidades Socioemocionais, Formação de professores.

15h00 DESENVOLVENDO HABILIDADES SOCIAIS NA PRÁTICA CLÍNICA: RECURSOS, TÉCNICAS E PROCEDIMENTOS Minicurso
Local: UFMA

DESENVOLVENDO HABILIDADES SOCIAIS NA PRÁTICA CLÍNICA: RECURSOS, TÉCNICAS E PROCEDIMENTOS

Shirley Simeão (UFPB) e Ludmila Xavier Rodrigues

Os déficits no repertório de habilidades sociais (HS) comumente tem sido relacionados com queixas clínicas, tais como problemas de comportamento, depressão, ansiedade, abuso de substâncias psicoativas, entre outros. Assim, cada vez mais o treinamento em habilidades sociais vem sendo de grande valia no contexto clínico, pela utilidade de sua aplicabilidade nos mais variados tratamentos, desde quadros psicopatológicos a dificuldades gerais de relacionamento. O desenvolvimento das HS ocorre a partir de um conjunto de atividades planejadas como forma de favorecer o processo de aprendizagem de comportamentos mais adaptativos e assim promover as HS como intervenção complementar ao processo psicoterápico. Diante do exposto, o objetivo do presente curso é apresentar os aspectos teóricos relacionados ao desenvolvimento das HS no contexto clínico, além das estratégias avaliativas e os principais recursos e técnicas que podem favorecer a melhoria do repertório de HS, viabilizando assim a ocorrência de comportamentos mais funcionais e de relacionamentos saudáveis e produtivos. Dessa forma, por viabilizar mudanças de comportamentos relacionados a queixas clínicas, demarca-se a relevância do desenvolvimento de HS na prática clínica, sendo auxiliar para uma condução satisfatória do processo psicoterápico.

Palavras-chave: Desenvolvimentos de habilidades sociais. Recursos. Intervenções.

15h00 FORMAÇÃO DE PROFESSORES EM HABILIDADES SOCIAIS Minicurso
Local: UFMA

FORMAÇÃO DE PROFESSORES EM HABILIDADES SOCIAIS

Luciana Carla dos Santos Elias (USP)

No decorrer da vida, novas e diferentes tarefas devem ser enfrentadas e cumpridas. Dentre as tarefas centrais na meninice temos o desempenho acadêmico, os relacionamentos sociais e a capacidade de seguir regras. Sabe-se que o cumprimento dessas tarefas decorre da interação entre o indivíduo e ambiente, no entanto, muitas vezes, essas tarefas não são cumpridas devido a fatores ligados ao próprio indivíduo como relacionados ao ambiente, o que o coloca em situação de risco. Contrário aos fatores de risco existem os de proteção que podem pertencer ao próprio indivíduo como ao ambiente com o qual interage. As habilidades sociais (HS) são consideradas fatores de proteção estabelecido à medida, que o comportamento socialmente habilidoso favorece a obtenção de reforçadores sociais importantes; dentre as HS destacamos as habilidades de solução de problemas interpessoais (HSPI), que contribuem para a flexibilidade cognitiva. As HSPI são constituídas por seis capacidades (1) gerar soluções alternativas, (2) consideração de consequências de atos sociais, (3) desenvolvimento de pensamento meio-fim, (4) desenvolvimento do pensamento social-causal, (5) sensibilidade para problemas e (6) orientação dinâmica. Diante desse contexto o presente minicurso tem como objetivo apresentar conteúdo introdutório quanto às HS e HSPI, teoria e prática, apresentado atividades que promovam o desenvolvimento das mesmas, através de atividades lúdicas e/ou programas específicos, no ambiente institucional. Espera-se poder colaborar com a formação de professores, no sentido de pensar em ferramentas para atuação e desenvolvimento das HS e HSPI como fator de proteção ao desenvolvimento.

15h00 HABILIDADES SOCIAIS E COMPETÊNCIA SOCIAL NO CONTEXTO PROFISSIONAL: ALGUMAS POSSIBILIDADES Minicurso
Local: UFMA

HABILIDADES SOCIAIS E COMPETÊNCIA SOCIAL NO CONTEXTO PROFISSIONAL: ALGUMAS POSSIBILIDADES

Daniele Carolina Lopes (Escola de Engenharia de São Carlos, Universidade de São Paulo, USP, São Carlos, SP)

De modo geral, a literatura descreve que organizações podem ser compreendidas como agrupamentos humanos intencionalmente estruturados com o propósito de atingir objetivos específicos, sendo constituídas por regras, políticas, objetivos, missões, funções, procedimentos, características e comportamentos de quem as constituem. Os comportamentos dos integrantes de uma organização são muito importantes porque são eles que produzem os resultados que a definem ou que delimitam seu papel na sociedade. Qualquer que seja o contexto profissional, os comportamentos de um indivíduo na interação ou relação com outras pessoas, do mesmo modo, afetam os resultados da organização, as outras pessoas e retroage sobre o próprio indivíduo. Os conhecimentos produzidos pelo campo teórico-prático das Habilidades Sociais (HS) podem trazer importantes contribuições para qualquer que seja o contexto profissional, uma vez que este se preocupa com ampliação e melhoria das interações e relações interpessoais. O objetivo do presente curso é apresentar, introdutoriamente, alguns conceitos do campo teórico-prático das Habilidades Sociais que podem ser incorporados no contexto profissional a fim de favorecer que o psicólogo seja um agente de mudança que considere a complexidade dos fenômenos psicológicos e organizacionais. Serão destacadas algumas possibilidades de capacitação em liderança e na formação profissional inicial por meio de programas de habilidades sociais e competência social.

14h45 COMO DESENVOLVER HABILIDADES SOCIAIS NA CLÍNICA SOB ENFOQUE DA ANÁLISE DO COMPORTAMENTO? Oficina
Local: UFMA

COMO DESENVOLVER HABILIDADES SOCIAIS NA CLÍNICA SOB ENFOQUE DA ANÁLISE DO COMPORTAMENTO?

Camila Negreiros Comodo (ITCR)

Limite de vagas: 30

As habilidades sociais têm sido definidas como comportamentos sociais valorizados em determinada cultura, que possuem alta probabilidade de produzir resultados favoráveis para o indivíduo e o grupo social. A competência social, por sua vez, tem sido considerada como a avaliação do desempenho da pessoa, segundo critérios de funcionalidade (consecução dos objetivos da interação, aprovação social da comunidade verbal, manutenção ou melhora da qualidade da relação, equilíbrio de reforçadores e respeito aos direitos humanos básicos). Pesquisas realizadas no Brasil e no exterior apontam correlação entre um repertório deficitário de habilidades sociais e transtornos mentais como depressão, ansiedade generalizada, transtorno obsessivo compulsivo, entre outros. Estudos também mostram relação entre déficits em habilidades sociais e diversas situações de risco, como abuso de substâncias, problemas conjugais, timidez. Considerando essas relações, faz-se necessário, a princípio, que o psicoterapeuta investigue as habilidades sociais e a competência social dos clientes que chegam para atendimento clínico. E a partir dessa avaliação, o psicoterapeuta precisa implementar estratégias para instalar, desenvolver e aprimorar o repertório social dos clientes. Dentro desse escopo, a presente oficina tem como objetivo apresentar exemplos de possíveis atividades, recursos e procedimentos que podem ser empregados nos atendimentos clínicos de crianças, adolescentes e adultos como forma de promover o repertório de habilidades sociais dos clientes.

 

Palavras-chave: habilidades sociais; psicoterapia; Análise do Comportamento.

14h45 CULTIVO DO PERDÃO: UMA PROPOSTA DE PROMOÇÃO DA SAÚDE MENTAL Oficina
Local: UFMA

CULTIVO DO PERDÃO: UMA PROPOSTA DE PROMOÇÃO DA SAÚDE MENTAL

José Marcelo Oliveira da Luz (UnB)

Limite de vagas: 15

O perdão está associado à promoção e manutenção da saúde mental, pois sendo considerado como a capacidade de ultrapassar a mágoa, o ressentimento ou a vingança dirigida a um ofensor, atua diretamente no processo interno de regulação de emoções, visando reduzir ou eliminar essas emoções negativas e os desejos de vingança. Estudos empíricos revelam que o perdão está associado à redução de níveis de estresse e ansiedade, alívio de sintomas depressivos e promoção de emoções positivas, caracterizando-se como fator protetivo e promotor de saúde mental. Assim sendo, com base em consulta à literatura especializada na área e em estudo com profissionais de saúde e especialistas em desenvolvimento de intervenções, desenvolveu-se um protocolo de intervenção para cultivo do perdão como ferramenta a ser utilizada tanto em contexto de promoção da saúde, quanto em contexto de tratamento. O protocolo foi desenhado a partir do Modelo de Processo do Perdão desenvolvido por Enright e The Human Development Study Group, de forma a ser implementado em 6 sessões, com duração média de 2 horas cada, que podem ser desenvolvidas tanto em formato de grupo quanto individual. Espera-se com isso, contribuir para a produção de conhecimento na área, fomentar novos estudos sobre o tema e ampliar os serviços de promoção da saúde mental, com a oferta de intervenções baseadas em evidências.

 

Palavras-chave: perdão, saúde mental, habilidades sociais

14h45 HABILIDADES SOCIAIS NO CONTEXTO ESCOLAR: COMO PROMOVER? Oficina
Local: UFMA

HABILIDADES SOCIAIS NO CONTEXTO ESCOLAR: COMO PROMOVER?

Juliana Pinto dos Santos (Universidade Federal de São Carlos, UFSCar, São Carlos, SP)

Limite de vagas: 20

A promoção de habilidades sociais (HS) deve ocorrer desde o início da vida. A infância é um período crucial para aprendizagem de comportamentos sociais positivos. Um repertório adequado de habilidades sociais está relacionado a melhor rendimento acadêmico, comportamentos relacionados à responsabilidade, cooperação, além de contribuir para prevenção do bullying e outros problemas de comportamento. Recursos já presentes na rotina infantil, como histórias, músicas, filmes e brincadeiras podem ser adotados também na promoção de habilidades sociais. A oficina será composta por apresentação teórica sobre o campo das habilidades sociais, dados de estudos empíricos e de revisão relacionados ao tema e atividades práticas sobre como explorar os recursos de modo a promover habilidades sociais em crianças. As atividades terão como foco: (a) identificar demandas e contextos viáveis para promoção de HS; (b) identificar recursos presentes na rotina das crianças que podem ser explorados de modo a promover habilidades sociais; (c) definir objetivos para utilização dos recursos; (d) selecionar recursos adequados ao objetivo que se tem e habilidade que se pretende promover; (e) elaborar uma ficha de orientação que possibilite outras pessoas explorarem o mesmo recurso de maneira direcionada. Ao final pretende-se que os participantes da oficina sejam capazes de identificar e explorar recursos infantis de modo a promover habilidades sociais nas crianças.

Palavras-chave: habilidades sociais; infância; recursos.

14h45 PROGRAMA DE PROMOÇÃO DAS HABILIDADES SOCIAIS JUNTO A CRIANÇAS COM DEFICIENCIA NO CONTEXTO HOSPITALAR Oficina
Local: UFMA

PROGRAMA DE PROMOÇÃO DAS HABILIDADES SOCIAIS JUNTO A CRIANÇAS COM DEFICIENCIA NO CONTEXTO HOSPITALAR

Patricia Lorena Quiterio e Jenniffer Pires da Silva (Universidade do Estado do Rio de Janeiro)

Limite de vagas: 30

A compreensão dos processos sociais e comunicativos dos alunos com deficiência é fator essencial para inclusão escolar. O objetivo desta oficina é descrever o Programa de Promoção das Habilidades Sociais para alunos com deficiência que participam de um projeto em um hospital universitário. O PPHS é desenvolvido em 20 encontros, com 11 participantes (M = 9; DP = 3,01). A metodologia baseia-se em exposição didática sobre cada subclasse de HS, vivências, dinâmicas, atividades e tarefas de casa. As atividades são planejadas, confeccionadas e desenvolvidas com recursos da Comunicação Alternativa. Primeiramente, foram analisados os dados da avaliação multimodal. Em seguida, elaborou-se o PPHS em parceria com os graduandos de Psicologia. Cada dois ou três encontros abordam cada subclasse de HS, bem como foram acrescidos: a) temática da higiene e da sexualidade, b) exposição dos trabalhos dos participantes; c) 6 encontros de orientação aos familiares. Ao final de cada encontro, os dinamizadores orientam os familiares sobre a tarefa de casa. E, ao final de cada subclasse, os participantes respondem um protocolo de avaliação processual. Durante todo o programa, atenta-se para que seus efeitos sejam generalizados para interações com outros parceiros de comunicação e contextos. Pode-se afirmar que, mediante os resultados dos instrumentos de avaliação multimodal das HS, dos relatos dos familiares e das mudanças comportamentais dos alunos, tem ocorrido ampliação na emissão de reações habilidosas, bem como das possibilidades de comunicação em diferentes espaços, como lanchonetes, condomínios, terapias... por meio do uso intencional dos recursos de Comunicação Alternativa possibilitando a interação humana.

Palavras-chave: treinamento de habilidades sociais, relações interpessoais, inclusão social.

14h45 REVISÃO SISTEMÁTICA DA LITERATURA: DESAFIOS E DIRETRIZES PARA REVISÕES NO CAMPO DAS HABILIDADES SOCIAIS Oficina
Local: UFMA

REVISÃO SISTEMÁTICA DA LITERATURA: DESAFIOS E DIRETRIZES PARA REVISÕES NO CAMPO DAS HABILIDADES SOCIAIS

Joene Vieira-Santos (Centro Universitário Adventista de São Paulo, UNASP, Hortolândia, SP, Brasil)

Limite de vagas: 10

Você já teve que buscar textos sobre habilidades sociais e não soube por onde iniciar? Já precisou realizar uma revisão de literatura sobre um tema de interesse nessa área e ficou com dúvidas sobre que descritores utilizar e como realizar buscas que, de fato, resultassem em textos relevantes para a sua pesquisa? Essa oficina foi pensada para te fornecer dicas sobre como lidar com esses desafios acadêmicos. Estudos de revisão da literatura são importantes porque permitem organizar, esclarecer a resumir como um determinado tópico tem sido abordado na literatura. Além disso, permitem verificar os avanços e lacunas existentes na investigação de um tema de interesse. As revisões podem assumir diferentes formatos em função do seu objetivo e da maneira como os textos para análise são selecionados. Um formato bastante utilizado na área da saúde é a revisão sistemática da literatura, a qual caracteriza-se pela presença de uma questão de investigação e uma metodologia específica para o levantamento de referências e análise dos textos. Nessa oficina, abordaremos como realizar revisões sistemáticas de literatura no campo das habilidades sociais.

Palavras-chave: Revisão sistemática da literatura; habilidades sociais; metodologia.

Edições Anteriores

Local

Universidade Federal do Maranhão - 65080-805, Avenida dos Portugueses, 1966, Vila Bacanga , São Luís, Maranhão,

Quer se tornar um parceiro?

Organizador

GT ANPEPP HABILIDADES SOCIAIS E RELAÇÕES INTERPESSOAIS