III Seminário Regional de Ensino e Relações Étnico-raciais - Ancestralidade e Resistência dos Povos Afro-Indígenas

APRESENTAÇÃO

O III Seminário Regional de Ensino e Relações Étnico-raciais - Ancestralidade e Resistência dos Povos Afro-Indígenas, da Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB)- Campus Sosígenes Costa (Porto Seguro-BA), nessa edição, será um espaço de difusão de saberes e práticas deixadas como heranças por indígenas, africanos e afrodescendentes que contribuíram para a formação social, política e cultural do Brasil.

O evento será realizado na modalidade online, nos dias 26, 27 e 28 de Agosto de 2020.

O III Seminário Regional de Ensino e Relações Étnico-raciais faz parte de uma organização institucional do Mestrado em Relações Étnico-raciais (PPGER) da Universidade Federal do Sul da Bahia, curso direcionado para a formação continuada dos profissionais da educação formal e não formal, e para pessoas interessadas nas questões do ensino em espaços formais e não formais. O foco do programa é a pesquisa aplicada a área do ensino, bem como a garantia da problematização das Leis nº 10.639/2003 (BRASIL, 2003) alterada pela Lei nº 11.645/2008 (BRASIL, 2008), a qual estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, para incluir no currículo oficial da rede de ensino a obrigatoriedade da temática “História e cultura afro-brasileira e indígena”. Assim como o plano nacional das diretrizes curriculares para educação das relações raciais e o ensino de história e cultura africana e afro-brasileira.

A programação conta com conferências, mesas redondas e simpósios temáticos para apresentação de trabalhos.

Com vista a propor a formação de educadores, objetivamos à efetivação da Lei 10.639/2003 (BRASIL, 2003) alterada pela Lei nº 11.645/2008 (BRASIL, 2008), tendo como centralidade não somente transformar o foco etnocêntrico dos currículos escolares, mas ampliar este horizonte para a diversidade étnica, histórica, cultural, social e econômica em nosso país, que durante anos tentou apagar as resistências e existência dos povos indígenas e afro-brasileiros na construção identitárias do povos brasileiros, conforme destaca o professor Dr. Redson Silva (2009), há uma tentativa de homogeneizar a cultura brasileira sob o olhar do colonizador "europeu”. Partindo dessas premissas, o evento contribuirá para conectar a nossa ancestralidade e de(s)colonizar o pensamento. Estamos em combate!

Contamos com a participação de todXs

Leia mais... →